Notícias

Desembargadora derruba liminar que obrigava Bolsonaro a usar máscara em público

Daniela Costa, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, afirma que Distrito Federal já tem lei que prevê multa para quem deixe de usar o equipamento de proteção em espaços públicos e que decisão judicial poderia fragilizar separação dos Poderes

Por Agência Estado, 30/06/2020 às 19:23
atualizado em: 30/06/2020 às 19:59

Texto:

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Marcello Casal Jr./Agência Brasil

RESUMO

  • A ordem havia sido imposta na semana passada pelo juiz federal Renato Borelli, da 9ª Vara Cível
  • Ação argumentava que a União não tem imposto aos mais de 70 mil servidores o uso obrigatório de máscaras quando em serviço
  • Foi destacado que o governador do DF  'nada tem feito' para fiscalizar o uso do EPI
     

A desembargadora Daniele Maranhão Costa, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), derrubou liminar que obrigava o presidente Jair Bolsonaro a usar máscaras nas ruas do Distrito Federal. A ordem havia sido imposta na semana passada pelo juiz federal Renato Borelli, da 9ª Vara Cível.

Na opinião da desembargadora, a ação civil pública não se presta a obrigar alguém a fazer algo e sim discutir o cabimento de algum ato administrativo. Além disso, a magistrada relembrou que o governo do Distrito Federal já prevê lei que determina o uso de máscaras em espaços públicos, sob risco de multa.

"O Poder Judiciário não se presta à finalidade de incrementar a penalidade já existente por força da inobservância da norma, sob pena de usurpação de competência e fragilização da separação dos Poderes, bastando que o Distrito Federal se valha de seu direito de política para cumprir a exigência, ou sancionar o infrator com imposição de multa, em caso de não observância", afirmou.

A ação argumentava que a União não tem imposto aos mais de 70 mil servidores o uso obrigatório de máscaras quando em serviço e que o presidente Bolsonaro não adotou o equipamento de proteção quando participava de atos públicos.

Em primeira instância, o juiz federal Renato Borelli disse que a conduta do presidente, que visitava estabelecimentos comerciais sem o uso de máscara e provocava aglomerações, 'mostra claro intuito em descumprir as regras impostas pelo governo do Distrito Federal'. O magistrado destacou ainda que a gestão Ibaneis Rocha (MDB) 'nada tem feito' para fiscalizar o uso do EPI.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    De acordo com um deputado que acompanhou a ação, dez animais foram resgatados e muitos deles estavam morrendo de calor e de sede #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    As demissões podem chegar no mês de julho a 60 mil trabalhadores, o que representa 50% de toda mão de obra do setor. #itatiaia

    Acessar Link