Notícias

Cuidados com a pele podem ajudar na autoestima de pacientes em tratamento de câncer de mama

Por Aline Campolina/Itatiaia, 10/10/2019 às 10:22
atualizado em: 10/10/2019 às 10:28

Texto:

No mês dedicado à luta contra o câncer de mama, mulheres que lidam com a doença precisam tomar alguns cuidados especiais com a pele durante o acompanhamento oncológico. Após o diagnóstico, pacientes que passam pelo processo de quimioterapia e radioterapia tendem a ficar com a pele mais sensível e ressecada.

No caso da radioterapia, a médica dermatologista Lívia Lavagnoli explica que durante as sessões pode surgir algum tipo de queimadura da pele. “É importante sempre usar um sabonete neutro, evitar produtos a base de álcool e perfume, manter a área onde foi feito o procedimento limpo e seco, além de proteger a pele do sol”. O uso do protetor solar indicado é no mínimo fator 30.

Se o tratamento for a quimioterapia, podem ocorrer vários tipos de alterações dermatológicas, como ressecamento da pele, irritações, coceira, acnes, manchas, unhas mais frágeis e queda de cabelo. Algumas recomendações feitas pela médica são usar hidratantes específicos, sempre sem perfume e sem álcool, banho rápido e com água morna, além de evitar exposição ao sol entre 10h e 16h.

Lívia Lavagnoli lembra que a hidratação da pele também precisa ser de dentro para fora. “É interessante que o paciente em tratamento faça a ingestão de 2 a 3 litros de líquido por dia”, ressalta a médica. A falta de hidratação local vai gerar um ressecamento mais intenso, podendo abrir até feridas. As queimaduras da radioterapia podem gerar alguns tipos de cicatrizes, bolhas, problemas mais sérios no local e também no corpo inteiro.

Com relação à queda de cabelo não há prevenção, mas existem cuidados, como uso de toucas com resfriamento – durante a quimioterapia ajudam a minimizar a queda. Esses cuidados com a pele vão ajudar a mulher com câncer de mama a não perder a vaidade e seguir com autoestima.

Sinais do câncer de mama que ocorrem pela pele

A pele e o câncer de mama têm tudo a ver, de acordo com a doutora Lívia Lavagnoli. Além dos nódulos nos seios, a mulher precisa ficar atenta para outros sinais de alterações que aparecem na pele, como vermelhidão, descamação do mamilo, inchaço (parecendo casca de laranja), irregularidades na pele e inversão do mamilo. “O corpo fala. Então a gente tem que ficar atento aos sinais que a pele dá, sempre”, conclui Lívia Lavagnoli.

Outubro Rosa 2019

O câncer de mama é segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Para o Brasil, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    "A família me procurou no início do mês, estava preocupada por ele estar sem advogado", explicou o advogado #itatiaia

    Acessar Link