Notícias

Bruno Engler aposta em parceria com setor privado para crescimento da economia em BH

Deputado foca sua pré-campanha à Prefeitura de Belo Horizonte na parceria com o setor privado para o desenvolvimento da capital mineira e a retomada da economia

Por Da Redação , 15/09/2020 às 21:51
atualizado em: 23/09/2020 às 10:46

Texto:

Foto: Henrique Chendes/ALMG
Henrique Chendes/ALMG

RESUMO

  • Bruno Engler aposta em parceria com setor privado para crescimento da economia em BH
  • Deputado foca sua pré-campanha à Prefeitura de Belo Horizonte na parceria com o setor privado para o desenvolvimento da capital mineira e a retomada da economia


A estratégia de campanha do pré-candidato à Prefeitura de Belo Horizonte e deputado estadual Bruno Engler (PRTB), será focar na parceria com o setor privado. 

Durante a entrevista concedida à repórter Edilene Lopes na live realizada no canal da Itatiaia no YouTube, a cada pergunta, o deputado Bruno Engler falou bastante sobre a importância da parceria com o empresariado. Ele também criticou bastante o prefeito da capital Alexandre Kalil.

Questionado sobre a saúde pública em Belo Horizonte com ou sem a pandemia, o pré-candidato pretende buscar parcerias com o setor privado para tentar melhorar o setor.    

“A gente precisa reforçar a infraestrutura da saúde. No início da pandemia, a gente escutou que a cidade seria fechada para se preparar e depois seria reaberta. Mas a gente não viu isso. A gente pode aumentar a estrutura de saúde porque a pandemia não acabou. O governo de Minas buscou a parceria e economizou dinheiro dos cofres públicos na criação do Hospital de Campanha de BH. Ele foi instalado com parceria com a Fiemg. Graças à Deus, o hospital não foi usado, mas não gastamos apenas o dinheiro público. Podemos trabalhar em parceria com o público e privado para aumentar o aparato da saúde, independente da pandemia”, sugeriu.

Sobre a retomada da economia de Belo Horizonte, que foi bastante afetada em todo país com à pandemia do novo coronavírus (covid-19), nos últimos seis meses, o deputado voltou a atacar a gestão atual e prometeu escutar os setores da economia na construção de propostas para a economia local.  

“Eu acredito que a prefeitura vai ter um papel fundamental na retomada da economia. Nós vamos pegar um cenário de terra arrasada porque nossa cidade está quebrada. A gente teve uma gestão ditatorial, que não escutou ninguém, nenhum setor e que foi quebrando as empresas de Belo Horizonte e deixando milhares de desempregados”, afirmou.    

Bruno Engler ainda diz querer mudar a ideologia da prefeitura. “A gente tem que ter uma mudança na visão de quem gera emprego e quem gera renda na nossa cidade. A prefeitura não pode enxergar essas pessoas como inimigos, mas sim como parceiros. Antes da pandemia, o plano diretor atacava o setor de engenharia civil”, declarou. 

Em relação ao ensino municipal, que ficou bastante comprometido este ano devido ao período de isolamento social, o parlamentar declarou que a melhor opção para a capital mineira é adotar o modelo cívico-militar.  

“As escolas cívico militares são modelos que eu defendo bastante porque onde o modelo foi aplicado funcionou bastante. Em todos os Colégios Tiradentes de Belo Horizonte, temos uma fila de pais esperando para cadastrar os filhos. Isso porque o modelo funciona, tem hierarquia e disciplina. A união se disponibilizou para implantar na rede municipal com recursos federal e o prefeito de Belo Horizonte não implementou por questões ideológicas porque o prefeito é de esquerda”, voltou a atacar a gestão atual.

Questionado sobre soluções para as enchentes que sempre assolam a capital, o pré-candidato à prefeitura de Belo Horizonte diz que tem um projeto inovador para o problema.   

“Eu estava conversando com alguns engenheiros e especialistas em gestão fluvial. O que me foi passado é que, com o desenvolvimento urbano, que tornou o solo menos perene, quando a água não entra no solo, a água corre muito rápido para as bacias hidrográficas.  Com isso, essas bacias hidrográficas enchem e geram as enchentes. O que a gente quer aplicar no município é um modelo que retarda a velocidade das águas de maneira que elas corram em uma velocidade menor do local onde elas chovem até a bacia hidrográfica, simulando barreiras naturais que existiam antes da urbanização”, explicou. 

Lives 

As lives foram agendadas por ordem alfabética e de acordo com a disponibilidade de cada pré-candidato à Prefeitura de Belo Horizonte. O canal da Itatiaia no YouTube vai levar para você duas entrevistas por dia de pré-candidatos. As lives tem início às 21h e vão até as 22h. Cada entrevistado tem 25 minutos para se pronunciar.  

Já foram ouvidos pela Itatiaia, os pré candidatos a deputada Áurea Carolina (PSOL), Lafayette Andrada (Republicanos) e Bruno Engler (PRTB).

Confira a entrevista completa:

 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link