Notícias

Após contrapartidas, líderes do Centrão admitem adiar a data das eleições municipais

Deputados Marcos Pereira e Silvio Costa Filho citam 'diálogo' ao passar a defender nova data em novembro

Por Agência Estado, 29/06/2020 às 16:49
atualizado em: 29/06/2020 às 16:52

Texto:

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

RESUMO

  • A mudança de postura ocorre logo após os presidentes da Câmara e do Senado discutirem contrapartidas para que o adiamento seja aprovado
  • A Proposta de Emenda à Constituição aprovada pelo Senado, na semana passada, transfere o 1º turno das disputas municipais para 15 de novembro e o 2º para o dia 29 do mesmo mês
  • Para ser aprovada na Câmara, a PEC precisa do apoio de 308 deputados, em duas votações
     

Antes resistente a adiar as eleições, um dos principais líderes do Centrão, o presidente do Republicanos, deputado Marcos Pereira (SP), afirma ter mudado de posição. Segundo ele, após conversar com médicos e com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, ele se convenceu de que levar a votação nos mais de 5 mil municípios do País de outubro para novembro é o melhor a se fazer neste momento.

A mudança de postura de Pereira ocorre logo após os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEMRJ), e o do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), discutirem contrapartidas para que o adiamento seja aprovado. Entre elas, a prorrogação do auxílio financeiro a prefeitos durante a pandemia do coronavírus – mais R$ 5 bilhões – e a retomada da propaganda partidária no rádio e na TV, extinta em 2017. Hoje, só é permitida a propaganda eleitoral.

“A beleza da democracia é a capacidade que temos de convencer e ser convencidos pelo diálogo. Eu fui convencido de que o adiamento das eleições para novembro é a melhor decisão a ser tomada. Estamos construindo esse consenso necessário”, disse Pereira.

Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Municípios Brasileiros, o deputado Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), também se pronunciou favorável ao adiamento das eleições nesta segunda-feira. “Depois de muito diálogo e consultas, o sentimento em Brasília mudou. As eleições serão realizadas em novembro. Hoje, esse é o sentimento da maioria dos parlamentares. Ao lado do @TSEjusbr, estamos construindo a melhor forma para que a eleição siga todas as orientações sanitárias”, escreveu no Twitter.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) aprovada pelo Senado, na semana passada, transfere o primeiro turno das disputas municipais para 15 de novembro e o segundo para o dia 29 do mesmo mês. Para ser aprovada na Câmara, a PEC precisa do apoio de 308 deputados, em duas votações.

No começo do mês, Pereira publicou um artigo defendendo a manutenção da votação em outubro, com a adoção de medidas de segurança. "Eu havia me manifestado favorável ao adiamento, mas entendo que há meios seguros de manter as eleições na sua data original", escreveu ele nesse artigo.

No último dia 24, um dia após o adiamento passar no Senado, Pereira foi ao Twitter manter o posicionamento. "Precisamos manter a data das eleições municipais no dia 4/10 para podermos avançar o mais rápido possível na pauta das reformas que o Brasil precisa. Ao postergar as eleições, fatalmente o Congresso Nacional demorará mais para atacar sobretudo os temas econômicos", postou ele.

Prefeitos pressionam deputados do Centrão a manter a disputa em outubro. Os atuais mandatários argumentam que adiar a corrida eleitoral favorece os adversários porque dá mais tempo para que candidatos rivais se organizem e façam campanha, ainda que de forma virtual. A avaliação é a de que, como a pandemia dificulta o debate político, quem já está no cargo leva vantagem.
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    De acordo com um deputado que acompanhou a ação, dez animais foram resgatados e muitos deles estavam morrendo de calor e de sede #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    As demissões podem chegar no mês de julho a 60 mil trabalhadores, o que representa 50% de toda mão de obra do setor. #itatiaia

    Acessar Link