Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Após decidir revidar o Irã, Israel ataca base do grupo terrorista Hezbollah, no Líbano

Como resposta ao ataque iraniano de sábado (13), Israel planejava atacar grupos terroristas aliados ao Irã; base militar ao norte do país foi alvo escolhido

O exército israelense atacou dois complexos militares, utilizados como uma base do grupo terrorista Hezbollah, aliado ao governo iraniano. Os alvos ficam na área de Meiss El Jabal e em Tayr Harfa, ambas no sul do Líbano. A informação foi divulgada no canal de Telegram das Forças de Defesa Israelenses (FDI).

Após o ataque, o porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Daniel Hagari, disse: “As IDF, com todas as suas unidades, continuam preparadas e prontas na defesa do país. Estamos conduzindo uma avaliação situacional e monitorando os desenvolvimentos”.

Mais cedo, o Gabinete Guerra de Israel anunciou que iria responder o ataque promovido pelo Irã, na noite do último sábado (13). De acordo com as Forças de Defesa de Israel (FDI), o Irã lançou 170 drones, 30 mísseis de cruzeiro e 120 mísseis balísticos contra alvos israelenses. A FDI afirma que 99% das ogivas foram interceptadas pelas defesas aéreas do país.

De acordo com um relatório obtido pelo Canal 12 (canal de TV israelense) e divulgado pelo jornal Times of Israel, Israel não queria que a retaliação levasse a uma escalada do conflito na região.

Por isso, foram discutidas possíveis formas de responder ao ataque de sábado. Entre as opções estavam o ataque a infraestruturas ou pessoas ligadas a grupos terroristas, como o Hamas (da Palestina), Hezbollah (do Líbano) e Houthis (do Iêmen), que apoiam o Hamas.

Leia também

Ataques a Israel

No início da noite de sábado (13), o Irã lançou mais de 300 ogivas em direção a Israel, em um ataque que marca uma escalada significativa do conflito entre os dois países. A informação foi compartilhada pelo porta-voz do exército israelense, Daniel Hagari, à imprensa do país.

Pouco tempo depois, o Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica, um corpo de elite ligado ao exército iraniano, emitiu um comunicado confirmando o ataque a Israel.

Segundo eles, os drones são uma resposta a um ataque promovido pelas forças armadas de Israel, que destruiu o consulado iraniano em Damasco, na Síria, em 1º de abril. Na ocasião, membros do exército iraniano foram mortos, incluindo dois generais;

*Matéria em atualização


Participe dos canais da Itatiaia:

Fernanda Rodrigues é repórter da Itatiaia. Graduada em Jornalismo e Relações Internacionais, cobre principalmente Brasil e Mundo.
Leia mais