Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Museu de História Natural de NY fecha salas com objetos de povos nativos dos EUA, entenda

Medida atende a nova regulamentação dos país

Museu de História Natural de NY

Imagem do Museu de História Natural de NY

Alvaro Keding/© AMNH

Duas salas do Museu de Ciências Naturais de Nova York serão fechadas a partir deste sábado, 27, em cumprimento a uma lei federal.

No local são exibidos objetos de povos nativos dos Estados Unidos, anunciou a instituição. “A partir deste sábado, fecharemos duas salas dedicadas às culturas indígenas da América do Norte, a dos Bosques Orientais e a dos Grandes Lagos”, explicou o presidente do museu, Sean Decatur, em uma carta aos funcionários nesta sexta-feira (26).

Leia Também

Norma federal

O museu nova-iorquino, que atrai 4,5 milhões de visitantes por ano, está cumprindo a nova regulamentação federal que entrou em vigor em 12 de janeiro e exige o consentimento dos descendentes dos povos originários para a exibição de seu patrimônio cultural, sagrado e funerário.

A meta é devolver os objetos que fazem parte do acervo sociocultural às tribos das quais saíram.

Dado o “significativo” número de itens exibidos nessas salas e o fato de que as exposições se tornaram “desatualizadas”, decidiu-se “fechá-las em vez de cobrir ou retirar objetos específicos”, explicou Decatur.

Os visitantes, em especial estudantes que visitam essas salas para aprender sobre a história do país, deixarão de poder ver objetos como uma canoa de casca de bétula de origem Menominee, dardos que datam de 10.000 a.C. e uma boneca Hopi Katsina.

Novos tempos

A decisão, que pode parecer “repentina” para alguns e “tardia” para outros, reflete, no entanto, “a crescente urgência de todos os museus em mudar suas relações e representações das culturas indígenas”, afirma a maior autoridade do museu nova-iorquino, cujo departamento de antropologia é um dos mais antigos e prestigiosos do país.

Outros museus pelo país, por sua vez, cobriram vitrines ou retiraram os objetos mais sensíveis do patrimônio cultural e sagrado das tribos, de acordo com o The New York Times.

Bryan Newland, secretário adjunto de Assuntos Indígenas e ex-presidente tribal da comunidade indígena Bay Mills, citado pelo Times, indicou que as normas foram elaboradas em consulta com os representantes tribais, que queriam que seus antepassados recuperassem a dignidade na morte.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

AFP
Agence France-Presse é uma agência de notícias francesa, a AFP cobre a atualidade mundial com uma qualidade única de produção multimídia em vídeos, textos, fotos e infográficos em seis línguas.
Leia mais