Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Google vai desativar rastreamento na ‘janela anônima’ após acordo na Justiça

Processo coletivo foi movido em 2020 por usuários dos EUA que acusaram o não cumprimento de anonimato no recurso; Google não terá que pagar indenização

A ‘janela anônima’ dos navegadores de internet deve se tornar realmente anônima. Ao menos é o que garante um acordo que o Google firmou na justiça americana, que também prevê o apagamento de bilhões de dados coletadas.

O processo coletivo foi movido em 2020 por usuários dos EUA que acusaram o não cumprimento de anonimato no recurso.

Na época, os usuários denunciantes alegaram que o Google rastreou ilegalmente o comportamento online, mesmo utilizando a ‘janela anônima’. Eles pediam pediram US$ 5 bilhões por danos morais.

Em nota à Itatiaia, o Google ressaltou que nunca usou dados de um usuário específico.

Leia também

‘Ficamos satisfeitos em resolver esta ação judicial, que sempre acreditamos ser infundada. Os autores originais queriam 5 bilhões de dólares e estão recebendo zero. Nunca associamos dados aos usuários quando estão usando o modo de navegação anônima. Estamos felizes em excluir dados técnicos antigos que nunca foram associados a um indivíduo e nunca foram usados para qualquer forma de personalização’.

Como funciona a janela anônima do Google

O modo anônimo, selecionado no canto superior direito, oferecia ao usuário privacidade ao navegar pela internet, dando a sensação que poderia não deixar qualquer rastro. O que não era totalmente verdade.

Ao usar esse recurso, o navegador deixa de salvar o histórico no dispositivo, de registrar informações inseridas em formulários e evita propagandas direcionadas. No entanto, Google e outras entidades ainda podiam rastrear e coletar dados sobre a atividade do usuário, mesmo na janela anônima.

*Sob supervisão de Enzo Menezes


Participe dos canais da Itatiaia:

Giullia Gurgel é estudante de jornalismo e estagiária da Itatiaia.
Leia mais