Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Superliga Feminina: estreantes, Jenna Gray e Natinha, revelam sentimento antes de final

Levantadora do Gerdau Minas e líbero do Dentil Praia Clube buscam primeiro título

Gerdau Minas e Dentil Praia Clube realizam, pelo quinto ano consecutivo, a final da Superliga Feminina. No entanto, uma titular de cada equipe fará a estreia em finais de Superliga. A levantadora minas-tenista Jenna Gray, e a líbero praiana Natinha, disputam a final do torneio pela primeira vez.

Natinha, 27 anos, faz a primeira temporada no Praia Clube. Antes, passou por Osasco, Flamengo, Barueri e Sesi. A líbero confessou ansiedade para a partida.

“Estou muito feliz de fazer a primeira final, representar o Praia. O friozinho na barriga continua aqui. Desde que viemos para cá, tem um sentimento muito gostoso e uma vontade incrível de começar logo o jogo”, avaliou.

A jogadora norte-americana do Minas faz a primeira temporada no Brasil. Jenna, de 26 anos, defendeu a Universidade de Stanford, antes de jogar no Desdner-ALE e RC Cannes-FRA.

Além do período de adaptação, a levantadora teve que superar uma lesão. Em dezembro, ela sofreu uma entorse nos ligamentos do tornozelo esquerdo.

“Estou muito orgulhoso da nossa temporada até agora! Lutamos contra um cronograma extremamente difícil e fomos desafiados tantas vezes. Acho que isso nos preparou para uma grande final contra o Praia. É sempre uma batalha entre nós, então espero nada menos do que uma grande partida”, disse.

Leia também

Expectativa para o jogo

As duas atletas projetam um jogo complicado para decidir o título. Para Natinha, a partida será espetacular.

“A gente trabalhou a temporada inteira, primeiro para chegar na final e agora o título, é o sonho da nossa vida, do atleta, é ganhar uma final. Vai ser um jogo espetacular. O que eu desejo é que a nossa equipe faça o melhor, que a gente buscou a temporada inteira”, disse.

Jenna destacou o que considera como fundamental para que o Minas conquiste o título. Além disso, destacou que o eventual troféu coroaria uma temporada difícil.

“Acho que será fundamental nos unirmos mais em equipe nos momentos difíceis e confiarmos uns nos outros para vencer essa decisão. Foi uma temporada ‘montanha-russa’, passamos por tantas coisas juntas, então acho que vencer seria a recompensa perfeita pela nossa resiliência”, avaliou.


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Leonardo Parrela é repórter multimídia na área de esportes na Itatiaia. É formado em Jornalismo pela PUC Minas. Antes da Itatiaia, colaborou com Globo Esporte, UOL Esporte e Hoje Em Dia, onde cobriu Copa do Mundo, Olimpíada e grandes eventos.
Leia mais