Ouvindo...

Times

Minas x Praia tem homenagens a Walewska e emoção dos pais da ex-central

Presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Radamés Lattari participou da cerimônia

O intervalo que antecedeu o segundo set da partida entre Minas e Praia Clube, neste domingo (14), foi de homenagens a Walewska. A ex-central, que morreu em agosto de 2023, foi revelada pelo clube de Belo Horizonte e encerrou a carreira pela equipe de Uberlândia.

Familiares da ex-jogadora estiveram presentes na Arena UniBH, palco da partida válida pela Superliga Feminina, e receberam o Troféu Brasil Olímpico. A honraria foi concedida à Seleção Feminina como “melhor equipe de esportes coletivos” de 2023 e repassado aos familiares da ex-atleta.

Geraldo Vieira de Oliveira, pai da campeã olímpica em Pequim, agradeceu a homenagem. O irmão Wesley Oliveira e a mãe Maria Aparecida Moreira também se emocionaram.

“A gente fica muito alegre de receber esse troféu em homenagem a Waleska e agradece muito ao Minas, ao voleibol, Seleção Brasileira, Seleção Mineira e todos os dirigentes, patrocinadores. A gente agradece por esse troféu”, disse Geraldo ao Sportv.

Presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Radamés Lattari participou da cerimônia de homenagem a Walewska. O ex-levantador Marcelinho, dirigente da CBV, também marcou presença.

História de Walewska

A ex-jogadora foi revelada pelo Minas, em 1995 e ficou no clube até 1998. Ela voltou ao time da capital mineira em 2014 e ficou até o ano seguinte. A meio-de-rede ainda defendeu Rexona/Ades, São Caetano, Sirio Perugia da Itália, Murcia da Espanha, Zarechie da Rússia, Vôlei Futuro, Vôlei Amil, Minas, Osasco e Praia Clube, onde encerrou a carreira em 2022.

Walewska também teve duas passagens pelo Praia Clube, de Uberlândia. A primeira foi entre 2015 e 2018, quando conquistou o título da Superliga Feminina de Vôlei pela segunda vez na carreira (ela já havia sido campeã em 2000 pelo Rexona/Ades).

A última passagem da central pelo Praia Clube começou em 2019 e terminou no ano passado, quando ela anunciou a aposentadoria.
Walewska foi duas vezes campeã da Superliga (1999-2000 e 2017-18). A meio-de-rede ainda levantou as taças da Supercopa (2019, 2020 e 2021), do Troféu Super Vôlei e do Campeonato Mineiro (2019 e 2021).

Super campeã pela Seleção Brasileira

Walewska defendeu a Seleção Brasileira durante boa parte da carreira. A primeira convocação foi em 1999, com Bernardinho. No mesmo ano, ela conquistou o título dos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, no Canadá.

O auge da carreira da ex-jogadora foi o título dos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, na China. Ela também ganhou a medalha de bronze nos jogos de 2000, em Atenas, na Grécia.

Ela também conquistou três vezes o título do Grand Prix de Vôlei: 2004, 2006 e 2008. Na última conquista, foi eleita a melhor bloqueadora do torneio.

Hugo Lobão é repórter multimídia do portal Itatiaia Esporte. É formado em Jornalismo pela PUC Minas. Antes da Itatiaia, passou por Hoje Em Dia, Record e Globo Esporte. Amante de esportes olímpicos.
João Vitor Cirilo é âncora e repórter. Jornalista na Itatiaia desde 2019, apresenta o Rádio Esportes e ancora as Jornadas Esportivas. Cobre futebol e também o esporte olímpico, no podcast Todo Esporte.
Leia mais