Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Lutador sofre racismo e é agredido em metrô de SP; vídeo mostra autor imobilizado

Vítima faz parte da Seleção Brasileira de Taekwondo; caso ocorreu na Estação São Caetano do Sul

Integrante da Seleção Brasileira de taekwondo, Gabriel Santos, conhecido também como Mussum, foi alvo de um ato racista seguido de agressão na tarde desta quarta-feira (15) na estação de metrô São Caetano do Sul-Prefeito Walter Braido, na Região do Grande ABC Paulista. O suposto autor foi identificado e também imobilizado por pessoas que estavam no local.

Gabriel Santos estava abraçado de uma amiga quando levou um chute pelas costas. O agressor foi contido por pessoas próximas, como seguranças da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e populares, e foi encaminhado à uma delegacia.

A vítima fez exame de corpo de delito em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) próxima antes de ser liberada, após também ir à delegacia. O caso foi registrado como lesão corporal e injúria racial.

Após a prisão, o autor teve concedida liberdade provisória mediante a cumprimento de medidas cautelares.

O episódio foi registrado como lesão corporal e injúria racial. O Tribunal de Justiça concedeu liberdade provisória ao agressor mediante ao cumprimento de algumas medidas cautelares.

A Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) se manifestou sobre o caso e se solidarizou com Gabriel. O lutador também foi às redes sociais e disse que se encontra bem após o episódio.

Nota de Repúdio contra Ofensa Racista Sofrida pelo atleta Gabriel Campolina dos Santos

Nós, Confederação Brasileira de Taekwondo, vimos por meio desta expressar nosso veemente repúdio e indignação diante da ofensa racista dirigida ao atleta Gabriel Campolina dos Santos. É inadmissível que em pleno século XXI, em uma sociedade que preza pela igualdade e respeito mútuo, ainda nos deparemos com atos tão repugnantes de discriminação racial.

A discriminação racial não só fere a dignidade humana, mas também vai contra os valores de justiça e igualdade que buscamos promover em nossa comunidade. Repudiamos veementemente qualquer forma de preconceito, seja ele racial, étnico, religioso ou de qualquer outra natureza.

Expressamos nossa solidariedade ao atleta Gabriel Campolina dos Santos e reiteramos nosso compromisso em combater ativamente o racismo e todas as formas de discriminação. É dever de todos nós lutar por uma sociedade mais justa e inclusiva, onde todos possam viver livremente, sem medo de serem alvo de ódio e intolerância.

Devemos agir firmemente para garantir que casos como este não se repitam, e que os culpados sejam responsabilizados conforme a lei.

Encorajamos também a reflexão e o diálogo dentro de nossa comunidade, promovendo o respeito à diversidade e o entendimento mútuo como ferramentas essenciais na construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Reiteramos nosso apoio a Gabriel Campolina dos Santos e a todas as vítimas de discriminação racial, e nos comprometemos a continuar lutando por um mundo onde o respeito e a dignidade de cada indivíduo sejam verdadeiramente valorizados.

Lembramos que o Comitê Olímpico Brasileiro disponibiliza cursos de combate ao racismo. Maiores informações em www.cob.org.br.

Estamos com você, Mussum!!!

Confederação Brasileira de Taekwondo

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Matheus Muratori é jornalista multimídia com experiência em muitas editorias, mas ama a área esportiva. Faz cobertura de futebol, basquete, vôlei, esportes americanos, olímpicos e e-sports. Tem experiência em jornal impresso, portais de notícias, blogs, redes sociais, vídeos e podcasts.
Leia mais