Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Fortaleza deve ter força máxima contra o Santos pelo Brasileiro; veja provável time

Leão não tem mais objetivos esportivos no Brasileiro, mas pode faturar mais se vencer; Peixe luta contra o rebaixamento

O Fortaleza já garantiu a vaga na Copa Sul-Americana de 2024, seu objetivo nesta reta final do Brasileiro da Série A, mas mesmo assim o técnico Juan Pablo Vojvoda deve escalar força máxima no jogo desta quarta-feira (6) contra o Santos, pela 38ª e última rodada da competição nacional. O confronto será na Vila Belmiro, no litoral paulista, com início às 21h30 (de Brasília).

Se para os cearenses é quase um amistoso, para os paulistas é decisão já que ainda há o risco de rebaixamento para a Série B. O Peixe é o 15º, com 43 pontos, um na frente do Vasco e dois sobre o Bahia. Se ganhar, o Santos se mantém na A, mas se empatar tem que torcer pelos tropeços de cariocas e baianos contra Bragantino e Atlético, respectivamente.

O único desfalque do Leão é o atacante Thiago Galhardo, suspenso por acúmulo de cartões amarelos. Mas Lucero, a quem ele vinha substituindo, está recuperado de lesão e viajou para o litoral paulista.

O Fortaleza, se vencer, pode acabar na nona posição, atualmente é o décimo, ultrapassando o Inter, que recebe o Botafogo, em Porto Alegre. Isso pode valer cerca de R$ 2,4 milhões a mais na premiação paga pela CBF, por isso também a decisão de escalar o time titular na Vila Belmiro.

O Fortaleza deve ir a campo com João Ricardo; Tinga, Brítez, Titi e Bruno Pacheco; Zé Welison, Caio Alexandre e Calebe; Yago Pikachu, Lucero e Guilherme.

Veja os relacionados para o jogo:

  • Goleiros: Bruno Guimarães, João Ricardo e Maurício Kozlinski.
  • Laterais: Dudu, Tinga, Bruno Pacheco e Gonzalo Escobar.
  • Zagueiros: Brítez, Titi e Benevenuto
  • Volantes: Lucas Sasha, Pedro Augusto, Caio Alexandre e Zé Welison.
  • Meias: Calebe, Lucas Crispim e Pochettino.
  • Atacantes: Yago Pikachu, Guilherme, Machuca, Lucero, Romero, Pedro Rocha e Marinho.
Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais