Ouvindo...

Times

Diniz reconhece começo de ano difícil para o Fluminense, mas vê grande evolução

Tricolor foi muito criticado em diversos jogos na temporada, mas segue vivo em grande disputas na temporada

O Fluminense fez sua parte e passou com certa facilidade pelo Sampaio Corrêa, pela terceira fase da Copa do Brasil. De quebra, o Tricolor assegurou a premiação de R$ 3,45 milhões com a vaga nas oitavas de final. E Fernando Diniz se mostrou contente com a evolução.

Muito criticado, o treinador teve seu contrato renovado até o final de 2025 e acredita que a equipe pode viver grandes momentos como foi em 2023, ao sagrar-se campeão da Copa Libertadores.

O próprio comandante reconheceu que o início do ano do Flu não é o esperado, mas que a evolução está notória nos últimos jogos. Além da vaga na Copa do Brasil, o Tricolor já está classificado em primeiro lugar de sua chave na Libertadores.

“Acho que o Fluminense está melhorando, está numa crescente, oscilando, se falar especificamente do jogo de hoje, a gente ganhou, a gente poderia ter ganhado um placar maior, mas poderíamos ter jogado melhor. A gente tinha um placar de 2 a 0, o jogo foi um pouco mais moroso do que eu achei que devia ser. Tivemos muito erro técnico também, que prejudicou um pouco o andamento do time. Mas de maneira geral, acho que a gente vem evoluindo, principalmente nesse último mês, e os resultados têm acompanhado essa evolução”, analisou após o triunfo sobre o time do Maranhão.

Leia também

Para ele, um dos motivos para o Fluminense ainda não estar no seu auge e ser mais cobrado do que anteriormente é em razão das conquistas no ano passado.

“Essa interlocução com a torcida é uma coisa que quem trabalha com futebol tem que procurar, pro ambiente ficar melhor, passar informações melhores e não deformar a opinião da torcida. Às vezes se cria uma coisa negativa que é difícil não adentrar o CT. Se você olhar racionalmente, esse é um ano que a gente tem trabalhado muito por conta da conquista da Libertadores e do vice do Mundial”, disse, completando:

“Isso tem um impacto sobre o time. Não só sobre a questão de voltar depois, mas todo mundo. A própria torcida quer relaxar um pouco e aproveitar, e no futebol não dá pra aproveitar muito. Tem que aproveitar trabalhando e melhorando. De um mês para cá, o Fluminense tá em outra espiral, de subida. Internamente percebi isso nos treinamentos, os resultados também tem acontecido”, concluiu.

Agora, o Fluminense recebe o Alianza Lima-PER, na quarta-feira (29), às 21h30 (de Brasília), no Maracanã, pela última rodada do Grupo A da Copa Libertadores.


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Jornalista esportivo desde 2006 e com passagens por Lance!, Extra e assessorias de marketing esportivo. É correspondente da Itatiaia no Rio de Janeiro. Tem pós-graduação em Jornalismo Esportivo e formação em Análise de Desempenho voltado para mercado.
Leia mais