Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Bruno Henrique comenta favoritismo dado a rivais do Flamengo: ‘Tem que ter respeito’

Atacante é o convidado da “Resenha do Jogo”, da FlaTV, nesta quarta-feira (6)

A vitória sobre o Botafogo, líder do Brasileirão, no Nilton Santos, onde o rival tinha 100% de aproveitamento, foi uma prova de força do Flamengo, que ainda sonha com a disputa do título. Autor do gol decisivo, Bruno Henrique comentou o favoritismo que foi dado ao adversário antes do clássico.

“Ninguém gosta (de ter o favoritismo apontado ao adversário) porque tem que ter respeito. A gente sabe que aqui é Flamengo, o atual campeão da Libertadores e Copa do Brasil, ganhou dois Brasileiros não foi à toa”, afirmou o camisa 27 em participação no programa “Resenha do Jogo”, da FlaTV.

O atacante seguiu, afirmando que, apesar de qualquer provocação, não costuma levar isso para campo. “Fazem isso para poder criar um clima de rivalidade, e querendo ou não chega até nós. Eu procuro não entrar em polêmicas assim, só quero fazer o meu trabalho da melhor maneira possível.”

Com o resultado, o Flamengo chegou aos 39 pontos, diminuindo a distância para o Botafogo, que tem 51 pontos em 22 rodadas. Entre os dois rivais cariocas, estão o Palmeiras, com 41, e o Grêmio, com 39.

Na final da Copa do Brasil, que será contra o São Paulo nos dias 17 e 24 de setembro, Bruno Henrique garante que o elenco ainda pensa em alcançar a primeira posição da Série A. “O Campeonato Brasileiro é dos mais difíceis. Os times oscilam bastante. Estamos um passo atrás, mas com convicção que a gente pode chegar no pelotão de cima. Vamos continuar buscando os times”.

Confira outras respostas do atacante Bruno Henrique, do Flamengo:

Botafogo apontado como favorito no clássico

“Tem que existir respeito, mas tenho certeza que não foi nada para diminuir o Flamengo, todo mundo sabe da grandeza do Flamengo. E futebol é dentro de campo, não adianta todo mundo que fala, no ar condicionado é muito fácil. Quem joga somos nós, dentro de campo que se resolve.”

Preparação para o jogo com o Botafogo

“O mais importante é estar com a cabeça boa para fazer um grande jogo. Durante a semana a equipe treinou bastante. Foram uma surpresa algumas alterações no time, mas os 11 que entraram, e os outros também, todo mundo treinou muito bem. A gente falou no vestiário: era jogo que não podia perder porque faria distanciar do Botafogo. Era o jogo das nossas vidas, era matar ou morrer. Graças a Deus todo mundo foi super importante para sair com essa vitória.”

A Rádio de Minas. Tudo sobre o futebol mineiro, política, economia e informações de todo o Estado. A Itatiaia dá notícia de tudo.
Leia mais