Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

‘O que começa errado, termina errado’: resumo da passagem de Larcamón pelo Cruzeiro

SAF do Cruzeiro vai para o sexto treinador diferente num intervalo de menos de um ano e meio

Um dos mais famosos ditados populares é definitivo: “o que começa errado, termina errado”. A curta passagem de Nicolás Larcamón pela Toca da Raposa II está longe de ter sido descontinuada, como anunciou o clube, por causa da perda do título mineiro para o Atlético.

Aliás, isso não pode ser o motivo de forma alguma, pois a diferença de qualidade e investimento entre os dois times é considerável. Não há surpresa no fato de o Atlético ter chegado ao pentacampeonato mineiro.

De toda forma, desde a estreia, Larcamón deixou no ar evidências de que tem dificuldade com as escolhas. Ao “punir” pela primeira vez Zé Ivaldo por uma episódio de vontade em excesso, sua escolha foi por Palacios, jogador que fez um péssimo 2023. Depois do jogo contra o Villa Nova, o colombiano nunca mais entrou em campo, embora sempre figure no banco de reservas.

Na derrota de 2 a 0 para o América, no Mineirão, quando seu time perdia por 1 a 0, ele colocou Lucas Romero para jogar de zagueiro na busca pelo empate. O volante tem 1,67m. Esse erro voltou a ser cometido na primeira partida da semifinal do Campeonato Mineiro, quando Zé Ivaldo foi expulso no empate sem gols com o Tombense, no Parque do Sabiá.

A eliminação precoce na Copa do Brasil para o Sousa, da Paraíba, foi mais do que um vexame, pois escancarou também a dificuldade do argentino em conviver com a realidade. Embora tenha sido alertado por integrantes da diretoria cruzeirense da condição do gramado, insistiu no estilo de jogo e na primeira etapa o time da casa já perdeu boas chances.

Na reta final da partida, quando o certo era segurar o placar em 0 a 0 que garantia a classificação cruzeirense, preferiu fazer substituições visando o setor ofensivo e o resto da história todo mundo já sabe.

A escalação na primeira partida decisiva do Estadual, na Arena MRV, foi um desastre. Puniu Zé Ivaldo mais uma vez, mas o prejudicado foi o time, o esquema com três zagueiros não funcionou e o Cruzeiro foi presa fácil para o rival. Menos mal que o Atlético caiu muito de produção na etapa final, ele ajustou seu time com a saída de Villalba, que fez um péssimo primeiro tempo, e sua equipe chegou à igualdade.

No jogo da volta, no Mineirão, Larcamón erra muito ao deixar João Marcelo, que foi poupado em Quito, pela Sul-Americana, no banco, para a escalação de Neris, que é um zagueiro inferior.

Mas seu colega Gabriel Milito ajudava, pois apesar de precisar da vitória para ser campeão, insistia num esquema com três volantes que permitia ao rival ganhar o meio. E seguiu assim até Larcamón tomar a equivocada atitude de sacer o meia Matheus Vital, que tinha mesmo que sair, pois estava cansado, para lançar o zagueiro João Marcelo.

O recado invadiu o gramado e o Cruzeiro foi engolido pelo Atlético, que passou a ter uma estratégia “kamikaze” e que surtiu efeito diante da falta de força celeste.

A perda do título não é o problema. O Atlético tem um time bem melhor que o do Cruzeiro. Mas o torcedor, que sabe da superioridade do rival, flertou fortemente com a taça, pois a vantagem chegou a ser muito grande, pois uma equipe que jogava pelo empate vencia por 1 a 0 até aos 20 minutos do segundo tempo.

Os equívocos de Larcamón somados à rejeição da torcida transformavam sem dúvida num risco a sequência do trabalho do argentino, justamente nas competições que são prioridade para o Cruzeiro, a Copa Sul-Americana, onde sonha chegar o mais longe possível, e o Brasileirão, onde o objetivo segue ser manter distância da zona de rebaixamento.

De toda forma, o Cruzeiro parte para o sexto comando técnico diferente em menos de um ano e meio. Isso está longe de ser o ideal, principalmente num processo de reconstrução, como o que acontece no clube. Que a diretoria acerte dessa vez, pois os erros em série nas escolhas de treinadores demonstram ineficiência numa tarefa importante de quem comanda o futebol.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Alexandre Simões é coordenador do Departamento de Esportes da Itatiaia e uma enciclopédia viva do futebol brasileiro
Leia mais