Ouvindo...

Times

Entenda por que o Girona pode ser ‘barrado’ da próxima Champions League

Equipe espanhola conta com o atacante Savinho, ex-Atlético, e está garantida na competição em 2024/25 via Campeonato Espanhol

Uma das grandes sensações do futebol europeu na temporada 2023/24, o Girona-ESP já está matematicamente classificado para a próxima edição da Champions League, fato inédito na história do clube. Contando com estrelas como o atacante Savinho, ex-Atlético, o clube já confirmou a 3ª posição no Campeonato Espanhol, mesmo restando uma rodada a ser disputada.

Pela classificação na tabela, o Girona seria um dos quatro times espanhóis na próxima Champions. Entretanto, o clube ainda não pode celebrar a classificação como deveria, afinal, uma regra da Uefa, entidade que controla o futebol europeu, pode impedir a participação na principal competição de clubes do continente europeu.

Leia também

Em 2017, o time espanhol teve 44,3% das ações compradas pelo City Football Group, de Abu Dhabi, que também é dono do Manchester City, da Inglaterra. Atualmente, a participação está em 47%.

Ambas as equipes estão classificadas para a próxima Champions, mas a Uefa impede que times de um mesmo proprietário disputem a mesma competição. A exigência da entidade é que os clubes participantes tenham “estruturas independentes de tomada de decisão” para poderem jogar os torneios internacionais.

A imprensa internacional afirma que o Girona terá condições de provar à Uefa que tem autonomia suficiente na tomada de decisões para jogar a Champions League. O assunto, inclusive, será resolvido antes do começo da temporada 2024/25, em agosto.

Casos parecidos já aconteceram nos últimos anos

Ao longo das últimas temporadas, clubes com o mesmo proprietário já se classificaram para competições da Uefa e conseguiram provar a autonomia para a entidade. Elas receberam uma espécie de “permissão especial” para disputar as competições. Alguns exemplos são:

  • RB Leipzig-ALE e RB Salzburg-AUT
  • Aston Villa-ING e Vitória de Guimarães-POR
  • Brighton-ING e Union Saint-Gilloise-BEL
  • Milan-ITA e Toulouse-FRA

Apesar da aprovação recebida por todos os clubes acima, o único “veto” imposto pela Uefa foi para possíveis negociações envolvendo atletas das equipes com o mesmo dono.


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Jornalista formado na PUC Minas. Experiência com reportagens, apresentação e edição de texto em televisão, rádio e web. Vivência em editorias de Cidades e Esportes.
Leia mais