Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Árbitro de Corinthians x Atlético relata xingamentos das duas diretorias

Equipes empataram na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, no domingo (14), em partida marcada por polêmicas com a arbitragem

A arbitragem da partida entre Corinthians e Atlético, pela primeira rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, segue rendendo polêmicas. Em súmula, o árbitro Yuri Elino (RJ) relatou que recebeu xingamentos vindos de Victor Bagy, diretor de futebol do alvinegro mineiro, e dos dirigentes Augusto Melo e Rubens Gomes, do clube paulista.

Segundo o juiz de campo, o dirigente do Atlético, no intervalo do confronto, teria, agressivamente, demonstrado a insatisfação com o trabalho da arbitragem. “Você conseguiu o que queria, estragou o jogo!”, proferiu Victor.

Ao fim da partida, após o empate sem gols, foi a vez dos dirigentes do Corinthians protestarem. “Você não deveria mais apitar aqui”, disse Augusto de Melo, presidente do clube. Ainda, o árbitro relatou o xingamento do diretor de futebol do Timão, Rubens Gomes. “Você é horroroso!”, acusou Rubão.

O desempenho da equipe de arbitragem desagradou não só as cúpulas dos clubes, mas também os torcedores de ambas as equipes. O árbitro Yuri Elino também registrou que foram arremessados, das arquibancadas, um copo descartável e um saco de pipoca no momento em que os profissionais se dirigiam ao vestiário.

A insatisfação do Atlético está ligada à falta cometida por Fagner, do Corinthians, em cima de Zaracho, aos 31 minutos do primeiro tempo. O lance gerou muita reclamação por parte do Galo já que sequer houve uma checagem do VAR. Além disso, Battaglia recebeu dois amarelos e foi expulso, o que gerou ainda mais contestações por parte do alvinegro mineiro.

Atlético protestou contra a arbitragem e fará reclamação à CBF

Por meio das redes sociais, o Galo protestou contra a arbitragem e informou que fará uma reclamação formal à CBF. O clube mineiro entende que Fagner deveria ser expulso pela falta e ficou incomodado com a expulsão de Battaglia.

Em nota, o Atlético criticou o dono do apito na Neo Química Arena.

“O maior campeonato do país não pode apresentar uma arbitragem como a que se viu em nosso jogo neste domingo. O Atlético exige um árbitro que cumpra as diretrizes apresentadas pela comissão de arbitragem para o Brasileirão e um VAR que se pronuncie diante de jogadas evidentemente violentas.

O Clube informa que fará uma reclamação formal à CBF nesta semana. O futebol brasileiro precisa de mais respeito e preparo da sua arbitragem”, destacou.

Expulsão de Battaglia

O volante argentino levou o segundo cartão amarelo nos acréscimos do primeiro tempo, após falta cometida em Yuri Alberto. Na visão de Márcio Rezende de Freitas, comentarista de arbitragem da Itatiaia, criticou a decisão do dono do apito.

“Não deveria ter sido expulso de forma alguma. Aí é pecar por excesso. É uma falta de jogo, onde o jogador faz o giro, o outro coloca o corpo à frente. A zaga está ali. Eu não o expulsaria. Acho que houve muita pressão. É um árbitro jovem que acabou aceitando”, disse Márcio Rezende.

“É um lance de jogo, uma trombada. Não é um agarrão, não é uma pancada por baixo. Ele tem que ver melhor os seus conceitos, usa muito cartão amarelo. A gente sabe disso. O primeiro cartão do Battaglia, para mim, foi inquestionável. Esse não”, completou.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Ana Luiza Pereira é jornalista em formação pela PUC Minas. Com passagens por TV Horizonte, Rádio Inconfidência e Rede Minas, dedica-se à cobertura esportiva e integra o time do Itatiaia Esporte.
Leonardo Garcia Gimenez é repórter multimídia na Itatiaia. Natural de Arcos-MG e criado em Iguatama-MG. Passou também pela Record Minas.
Túlio Kaizer é jornalista esportivo com grande experiência no digital. Foi setorista dos três grandes clubes do futebol mineiro: América, Atlético e Cruzeiro. Cobre também basquete, vôlei, esportes americanos, esportes olímpicos e e-sports.
Leia mais