Ouvindo...

Times

Técnico do Atlético, Milito critica arbitragem brasileira: ‘Não há igual no mundo’

O técnico atleticano criticou bastante o número de cartões que são aplicados no futebol brasileiro

A goleada por 4 a 0 para o Palmeiras, em jogo disputado nesta segunda-feira (17) na Arena MRV, fez do árbitro Rodrigo José Pereira de Lima o grande algoz do Atlético na partida da nona rodada do Campeonato Brasileiro.

Além de ter expulsado o atacante Hulk aos 30 minutos do primeiro tempo, o “dono do apito” distribuiu vários cartões para jogadores e integrantes do banco de reservas (atletas e comissão técnica). No final do jogo, ele ainda aplicou o vermelho em Paulinho, que partiu para cima do lateral Marcos Rocha.

Apesar de medir as palavras para evitar possível punição futura, o técnico Gabriel Milito não escondeu a bronca com os árbitros do país. Para ele, algo diferente do que se vê em qualquer Liga do planeta.

Leia também

“Só quero dizer que a partida é dos jogadores. Não há liga no mundo que a arbitragem dê tantos cartões, para jogadores e para quem está no banco, como no Brasil. Em nenhum lugar do mundo. Não existe. Isso é o mais preocupante. O protagonismo não tem que ser da arbitragem. As pessoas pagam ingressos para ver as equipes e não os árbitros”, destacou Milito.

“Em todos os jogos aconteceram isso. Hoje ele interpretou que eu estava reclamando dele, quando era com um jogador meu. E me deu um amarelo. Numa liga tão forte, cheia de bons jogadores, tem que se rever isso”, foi além.

Elogio ao grupo e mais lamentação pela expulsão

Ainda segundo o treinador atleticano, a equipe se portou muito bem, mesmo com um a menos em campo. Porém, pela força do adversário, a goleada acabou sendo inevitável.

“A equipe jogou e deu tudo o que teria para dar. Logicamente as situações que desenrolaram o jogo foram contra nós e a favor de uma grande equipe que é Palmeiras. Primeiro o gol e depois a expulsão de Hulk. Hoje, num futebol tão profissional e de nível, é muito difícil jogar com um jogador a menos, ainda mais contra uma grande equipe. Ou a gente se jogava para trás e aceitava ou placar ou tentávamos ser valentes. Por isso mudamos no intervalo, com a entrada do Alisson”, disse.

“Depois o segundo e terceiro gols. O jogo logicamente terminou ali. Uma pena ter acontecido esta derrota, principalmente porque nossa equipe já provou que busca resultados adversos. Mas com 10 se fez mais difícil. Não fizemos o jogo que imaginávamos, claramente por atuar com um atleta a menos. Tenho minha opinião sobre arbitragem, mas falar das decisões vai soar como desculpa. Não quero cair nisso. Tenho claro o que foi que aconteceu”, finalizou.

Próximo jogo

O Atlético volta a campo na próxima quinta-feira (20) e encara o Vitória em Salvador. A partida da décima rodada está marcada para 18h30 (de Brasília).


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Henrique André é repórter multimídia e setorista do Atlético na Itatiaia. Acumula passagens por Uol Esporte, Jornal Hoje em Dia e outros veículos. Participou da cobertura de grandes eventos, como Copas do Mundo (2014-18) e Olimpíada (2016-2021).
Leia mais