Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Em despedida, Caetano lista dificuldades e pontos positivos de passagem pelo Atlético

Novo diretor de Seleções da CBF teve passagem marcante pelo clube alvinegro, durante os últimos três anos

Novo diretor de Seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Caetano elegeu, nesta quarta-feira (21), as dificuldades e os pontos positivos de sua passagem pelo Atlético. O ex-dirigente do clube alvinegro concedeu entrevista coletiva na Arena MRV, em Belo Horizonte.

“Tivemos momentos difíceis. Eliminações, talvez, que não esperávamos, principalmente nas Copas, mas eu preferiria fazer um balanço muito mais positivo. Se for observar, as decepções são muito maiores que os êxitos, né? É assim no nosso país, inclusive. Nós temos muitos clubes em condições de ganhar um Campeonato Brasileiro, uma Copa do Brasil. Então, não é normal ganhar. Ou ganhar bastante num espaço tão reduzido e, às vezes, nós todos somos induzidos a esse erro, que é normalizar isso”, afirmou o dirigente, que preferiu fazer um balanço positivo de sua passagem.

Aliás, Caetano elegeu os títulos e o convívio com os profissionais do Atlético como os melhores momentos no clube alvinegro. O profissional ainda revelou um carinho especial pelo Campeonato Brasileiro conquistado em 2021, após 50 anos de jejum.

“Para mim, os maiores e melhores momentos foram esses, de conquistas. O Campeonato Brasileiro tem uma marca, vou carregar pra sempre, pelo tempo que o Galo não ganhava, pela forma como foi”, disse.

“Eu estava falando com a turma, ontem, quando me despedi: o Galo tem alguns grandes patrimônios físicos, que é a Arena, os clubes sociais, a Cidade (do Galo), a Sede. Mas tem um patrimônio invisível, que é incomensurável: são seus funcionários, os seus profissionais, a sua torcida, obviamente, intensa e muito fiel, e o bom ambiente. Nesse clube realmente tem um excelente ambiente de trabalho, que pode ser considerado um grande patrimônio, além dos títulos, além do convívio, o ambiente que o Galo tem é espetacular, diferente”, complementou.

Rodrigo Caetano na CBF

Rodrigo Caetano chegou à CBF para substituir Juninho Paulista. Em janeiro de 2023, o ex-jogador deixou a entidade, pouco depois da Copa do Mundo de 2022, no Catar, junto com a comissão técnica de Tite.

Na CBF, Juninho Paulista trabalhou como coordenador da Seleção Brasileira masculina principal entre agosto de 2019 e janeiro de 2023, como substituto de Edu Gaspar.

Desde 2021 no Atlético, Rodrigo Caetano viu a equipe conquistar seis títulos: Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Supercopa do Brasil e três edições do Campeonato Mineiro.

O executivo, de 53 anos, tinha contrato com o Atlético até o fim de 2026. O diretor foi alvo de outros clubes, como o Corinthians, recentemente, mas o Galo conseguiu mantê-lo.

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista pela PUC Minas, Filipe Sodré é repórter multimídia no portal Itatiaia Esporte. Antes, passou por LANCE! e Esporte News Mundo. Tem experiência na cobertura esportiva diária, além de vídeos e podcasts.
Leia mais