Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Família de Kafunga se emociona com homenagem do Atlético na Arena MRV

Familiares dos campeões brasileiros de 1937 foram homenageados na Arena MRV antes de partida pela Série A

“Todos estavam na mesma emoção, é indescritível mesmo depois de tantos anos”. Nas palavras da secretária executiva Marcela Bastos, de 54 anos, está parte do sentimento por uma homenagem após quase 100 anos. No sábado (16), familiares dos jogadores do Atlético campeões brasileiros em 1937 foram homenageados no gramado da Arena MRV, recebendo medalhas e erguendo o troféu daquela conquista. Neta de Kafunga, goleiro do Galo à época, ela foi a representante da família.

Seis netos e três bisnetos de Kafunga, incluindo Marcela, foram convidados pelo Galo para representar o ex-goleiro na cerimônia. Marcela recebeu a medalha e um troféu com homenagem ao avô, que morreu em 1991.

“Foi emocionante. Eu sempre fui muito orgulhosa pelo meu avô, todo mundo gostava muito dele no futebol e na TV. Foi uma honra muito grande eles reconhecerem isso, em nome do Atlético e do time de 1937. É muito gratificante ver as famílias de todos, tinha pessoas chorando também, pensei que os campeões estavam de fato entre nós”, completou a neta de Kafunga.

Um dos bisnetos que estava no estádio é João Pedro Franco, de 26 anos, que destacou o carinho com os campeões depois de tanto tempo.

“O que mais agrada é o carinho do Atlético com a gente e os outros familiares que fizeram parte da vida dos jogadores. Levar a gente para o campo, ter essa sensação de pisar em casa, receber um troféu e medalha, mesmo que simbólicos. Foi muito legal, muito histórico para nós”, completou o jovem.

Pedido especial do locutor da Arena MRV

Mesmo sem ter conhecido o bisavô, a memória de Kafunga é muito presente na vida dele e de toda a família. Avô de João, Roberto Leite era filho do ex-goleiro e foi preparador físico no título brasileiro de 1971. Ele era um elo entre clube e família, e mesmo após o falecimento dele, em 2017, o Galo segue em contato com a família para situações como essa. O bisneto de Kafunga ainda lembrou um pedido especial de Jaime Junior, que é o locutor oficial da Arena MRV.

“Antes da estreia, nós fomos à Arena e o Jaime falou com todas as famílias. Ele pediu autorização para usar bordões dos campeões durante os jogos”, explicou. No caso de Kafunga, o bordão é usado logo após os gols do Galo na nova casa, relembrando os tempos do ex-jogador como comentarista: “Não tem coré coré, gol barra limpa!”.

Jornalista formado na PUC Minas. Experiência com reportagens, apresentação e edição de texto em televisão, rádio e web. Vivência em editorias de Cidades e Esportes.
Leia mais