Ouvindo...

Times

Simões se esquiva sobre aliança entre Novo e PL e defende candidatura de Luísa Barreto

Vice-governador de Minas disse que estará junto de ex-secretária de Zema; nessa semana, PL deu ‘ultimato’ sobre aliança com o Novo em BH

O vice-governador de Minas Gerais, Mateus Simões (Novo), se esquivou de responder sobre a possibilidade de aliança entre o seu partido e o PL nas eleições municipais de Belo Horizonte e endossou a pré-candidatura de Luísa Barreto, ex-secretária de Romeu Zema que deixou o cargo no início do mês para se dedicar à pré-campanha.

A resposta de Simões foi dada após a imprensa questionar sobre a possibilidade de uma aliança entre os partidos de Zema e Bolsonaro. Na resposta, em nenhum momento, Simões faz menção ao PL.

“Não há nenhum candidato colocado em Belo Horizonte mais competente e preparado para governar a cidade que a secretária Luísa Barreto. Eu tenho por ela uma admiração enorme e ela conta com meu apoio e o do governador até o final da corrida. E eu tenho certeza, como vereador que fui, que Belo Horizonte dará uma guinada de 30 anos se a gente levar Luísa. No momento certo, estarei na rua com ela para garantir meu endosso e do governador, a única capaz de tirar Belo Horizonte dessa situação de paralisia”, afirmou durante abertura do Festival do Queijo Artesanal, no Expominas, na Região Oeste de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (13).

Nos bastidores, há várias lideranças do PL que defendem o nome de Luísa Barreto como vice de Bruno Engler, candidato apoiado por Jair Bolsonaro, na capital mineira.

Nesta semana, em Belo Horizonte, o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, afirmou que pra estar junto em 2026, PL e Novo precisam caminhar juntos em 2024.

“O que nos interessa é estarmos juntos na campanha [deste ano] para estarmos juntos em 2026. Precisamos disso, temos que estar juntos sempre. Zema é uma figura importante e Minas tem que estar junto com a gente, como esteve no passado e vai estar no futuro. Temos que nos acertar agora, para estarmos juntos em 2026", condicionou.

Leia também

Questionado se os dois partidos poderão caminhar juntos nas eleições na capital mineira, Valdemar foi ainda mais enfático.

“Se não estivermos juntos agora, não tem como estar junto em 2026", pontuou.

No meio político, a declaração foi considerada uma indireta para o Governador Romeu Zema, que aparece entre os nomes que podem disputar a Presidência da República daqui dois anos.

Zema tem ganhado força ao lado de outros nomes do campo da direita como Governador de Goiás, Ronaldo Caiado e governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Em 2026, o PL terá lançar um novo nome para disputar a Presidência da República. Apesar de ainda permanecer como um nome forte na direita, caso sejam mantidas as condenações atuais da justiça, o ex-presidente Jair Bolsonaro estará inelegível durante as eleições gerais que vão ocorrer daqui a dois anos.


Participe dos canais da Itatiaia:

Repórter de política na Rádio Itatiaia. Começou no rádio comunitário aos 14 anos. Graduou-se em jornalismo pela PUC Minas. No rádio, teve passagens pela Alvorada FM, BandNews FM e CBN, no Grupo Globo. No Grupo Bandeirantes, ocupou vários cargos até chegar às funções de âncora e coordenador de redação na BandNews FM BH. Na televisão, participava diariamente da TV Band Minas e do BandNews TV. Vencedor de 8 prêmios de jornalismo. Já foi eleito pelo Portal dos Jornalistas um dos 50 profissionais mais premiados do Brasil.
Leia mais