Ouvindo...

Times

Após Zema elogiar Luísa Barreto em evento de Carlos Viana, senador diz que ela poderia ser sua vice

Carlos Viana tomou posse como presidente do diretório municipal do Podemos neste sábado (11), em evento na capital mineira

Recém empossado como presidente do diretório municipal do Podemos, o senador Carlos Viana, pré-candidato do partido à Prefeitura de Belo Horizonte, disse que o momento é de reforçar a chapa de vereadores da legenda, de olho nas eleições municipais de 2024.

Mirando também apoios de partidos para formar uma coligação, o parlamentar disse, ainda, que um apoio do governador Romeu Zema (Novo) à sua candidatura seria “muito bem-vinda”.

Zema compareceu, neste sábado (11), a um evento do partido de Viana que o empossou como presidente do diretório em Belo Horizonte, mas levou a tiracolo a sua secretária do Planejamento, Luísa Barreto, pré-candidata do Novo à Prefeitura de BH. O governador roubou a cena do evento após discursar por 30 minutos e elogiar Luísa, a quem chamou de “cérebro do maior acordo do país”, ao se referir à multa imposta à Vale pelo rompimento da barragem de Brumadinho, em 2019.

Como troco, Viana disse que aceitaria que Luísa fosse vice em uma chapa encabeçada por ele.

“Os números não mentem. Candidatos já foram testados nas urnas e tiveram seus resultados”, afirmou. Eleito em 2018 para uma vaga no Senado, Carlos Viana obteve 850 mil votos em Belo Horizonte. Luísa Barreto, candidata à prefeitura em 2020 pelo PSDB, teve o apoio de 17 mil eleitores.

“A presença do governador aqui, o Podemos recebe com muita alegria. Para nós é uma satisfação, afinal ele é o governador. Mas é assim mesmo. Agora é a hora não é mais de discurso, agora é na rua. Eu tenho muito a apresentar em BH e o apoio do Zema lá na frente seria muito bem-vindo, inclusive com a Luísa, que tem muita competência, seria muito bem-vinda numa chapa conosco”, afirmou.

Leia também

Questionado se achava que o cenário seria possível, Viana confirmou.

"É possível, porque não? Principalmente no meu campo, de centro-direita. À medida em que os números forem se mostrando, as alianças vão se tornar mais fortes. É cedo ainda para buscarmos dizer, com clareza, quantos partidos vão se juntar. Mas vamos ter uma mudança radical”, completou.


Participe dos canais da Itatiaia:

Editor de política. Foi repórter no jornal O Tempo e no Portal R7 e atuou no Governo de Minas. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem MBA em Jornalismo de Dados pelo IDP.
Leia mais