Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Eleições 2024: ‘Transporte coletivo em BH está melhorando e reclamações estão diminuindo’, diz Fuad Noman

Prefeito afirmou que processo para melhorar transporte público na capital é gradual, mas que as primeiras melhorias já estão sendo percebidas pelos usuários

O prefeito Fuad Noman, pré-candidato à reeleição pelo PSD em Belo Horizonte, admite que o transporte público na capital ainda enfrenta desafios e obstáculos, mas que os usuários já estão percebendo melhorias desde a implementação do programa “Tolerância Zero” no início deste ano.

Fuad avalia que a questão da mobilidade urbana será um dos principais temas da campanha eleitoral em BH. Ele cita os grandes embates com as empresas de ônibus nos últimos anos e diz que apresentará aos eleitores as medidas que estão sendo tomadas pelo Executivo municipal.

“Em junho do ano passado fizemos um acerto de complementar o valor da passagem e criamos regras para que as empresas pudessem se enquadrar no modelo de prestação de serviço melhor. O prazo terminou em 31 de dezembro. Em janeiro, já com a chegada de novos ônibus, mas nós detectamos que ainda não estava todo o combinado sendo realizado, então criamos o programa ‘Tolerância Zero’, e fizemos, e estamos fazendo, um grande esforço para fiscalizar e tirar da rua os ônibus sem qualidade”, afirmou Fuad, em entrevista à Itatiaia.

O prefeito citou a compra de novos ônibus no último semestre e afirmou que pretende continuar com melhorias na prestação do serviço de transporte público em um eventual segundo mandato na capital.

“Eu noto que o processo está melhorando, ainda não está excelente, mas está melhorando e o nível de reclamações têm caído. Hoje já temos mais de 600 ônibus novos nas ruas. É um processo que foi conturbado no ano passado e neste ano estamos avançando, os ônibus ruins não estão rodando, estamos fiscalizando as garagens. O resultado está aparecendo. Ainda é lento, mas está melhorando”, afirmou o prefeito.

Lançado no mês passado pelo PSD como pré-candidato, Fuad disputou sua primeira eleição como cabeça de chapa. Ele foi eleito em 2020 na chapa do ex-prefeito Alexandre Kalil (PSD) e assumiu a Prefeitura de BH em março de 2022, quando Kalil deixou o cargo para disputar o governo de Minas.

Moradores em situação de rua

O prefeito apontou a questão dos moradores em situação de rua como outro desafio que está enfrentando à frente da gestão municipal. Desde a pandemia da Covid-19, o número de pessoas nas ruas aumentou e hoje são mais de 5 mil pessoas em situação de rua.

“A questão dos moradores em situação de rua é delicada. Tem no mundo inteiro, em Nova York, em Buenos Aires, em São Paulo e em BH, mas em BH o problema é nosso. E nós fizemos uma pesquisa junto com a UFMG que mostrou que temos 5,3 mil pessoas em situação de rua. Mapeamos o porquê de elas estarem na rua. Muitos porque estão doentes, com tuberculose, problemas mentais, então a primeira preocupação minha foi tratar dessas pessoas, para que elas tenham saúde”, afirmou Fuad.

O prefeito diz que espera aumentar o programa de assistência social aos moradores de rua em um eventual segundo mandato.

“Criamos o programa ‘Estamos juntos’, que leva as pessoas para o abrigo, começa a ressocializar essas pessoas para o mercado de trabalho. Temos 1 mil pessoas nesta situação. Mas é um processo lento. E tem pessoas que não querem sair das ruas, então temos que fazer um processo de aproximação, criando consultórios ambulantes com médicos e psicólogos para ouvir, avaliar e entender essas pessoas. Não existe uma fórmula única para resolver, mas existem ações que podem ser feitas e nós estamos fazendo. Queremos ampliar essas ações. Não vamos conseguir tirar todo mundo da rua, mas vamos tratar e tirar o máximo que for possível”, disse Fuad.

Leia também


Participe dos canais da Itatiaia:

Jornalista graduado pela PUC Minas; atua como apresentador, repórter e produtor na Rádio Itatiaia em Belo Horizonte desde 2019; repórter setorista da Câmara Municipal de Belo Horizonte.
Editor de Política. Formado em Comunicação Social pela PUC Minas e em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Já escreveu para os jornais Estado de Minas, O Tempo e Folha de S. Paulo.
Leia mais