Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Jacaré resgatado em Fabriciano no ambiente urbano está sob cuidados do Cebus da Usipa

Réptil foi salvo pelo Corpo de Bombeiros no Bairro Caladinho

No último fim de semana um jacaré do papo amarelo (Caiman latirostris) foi encontrado em ambiente urbano, mais especificamente dentro de uma manilha, no bairro Caladinho, em Coronel Fabriciano, pelo Corpo de Bombeiros.

O réptil, cientificamente conhecido por sua coloração amarelada na região ventral, foi acolhido, está sendo tratado e em breve devolvido à vida livre em uma ação coordenada pelos técnicos do Centro de Biodiversidade da Usipa – Cebus, que fica localizado no município de Ipatinga.

A presença do jacaré em ambiente urbano, segundo o Cebus, pode ser atribuída à dependência desses répteis de fontes externas de calor para a regulação da temperatura corpórea, conforme conta Lélio Costa e Silva, médico veterinário e coordenador técnico do Cebus. “Durante esta época do ano, eles se tornam mais ativos, e as alterações bruscas do clima, queimadas, incêndios e temporais podem fazê-los buscar ambientes mais seguros”, contou.

Agora, o jacaré passará por exames clínicos e sexagem antes de ser encaminhado para a soltura. O Cebus, em sua missão de preservação da fauna e flora, desempenha um papel crucial nesse processo. “Nosso compromisso é acolher, tratar e devolver os animais à natureza, contribuindo para a manutenção do equilíbrio ambiental”, enfatiza Lélio.

A soltura do jacaré será realizada em uma área definida pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), garantindo que seja um local longe da população urbana. Essa medida visa assegurar a segurança do animal e o respeito ao seu habitat natural. O retorno desse jacaré do papo amarelo à natureza, celebra mais uma história de sucesso na preservação da biodiversidade local.

O jacaré do papo amarelo (Caiman latirostris)

O jacaré do papo amarelo, espécie típica da América do Sul, enfrenta ameaças como a destruição de seu habitat e a caça ilegal, sendo classificado como vulnerável. Com um focinho largo e curto, o réptil é semiaquático, alimentando-se principalmente de peixes, crustáceos e pequenos vertebrados, com uma longevidade média de cerca de 50 anos.

Durante a primavera-verão, o jacaré entra em seu período reprodutivo, caracterizado pela construção de ninhos feitos de material orgânico, como folhas, gravetos e terra. As fêmeas

depositam, em média, de 20 a 35 ovos nesses ninhos, desempenhando um papel vital na preservação da espécie.

Jefferson Rocha é jornalista graduado pelo Centro Universitário Católica do Leste de Minas Gerais e tem 25 anos de experiência em rádio. É coordenador de jornalismo da Itatiaia Vale do Aço.
Leia mais