Ouça a rádio

Compartilhe

STF decide arquivar pedido de CPI da Covid para investigar ministro

Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União foi acusado de prevaricação em episódio de compra de vacinas Covaxin

Lewandowski atendeu pedido da PGR para determinar arquivamento de petição da CPI

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, arquivou um pedido da CPI da Covid, no Senado Federal, que pedia a instauração de um inquérito contra o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário. A Comissão Parlamentar de Inquérito queria que ele respondesse pelo crime de prevaricação, no episódio envolvendo a negociação da compra da vacina Covaxin pelo Ministério da Saúde.

A decisão de Lewandowski atende a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), órgão que tem a competência para oferece ou não a denúncia nesses casos. Para o ministro do STF, o Judiciário não pode compelir a PGR a oferecer denúncia.

Na semana passada, a vice-procuradora da República, Lindôra Araújo, arquivou diversos pedidos de investigação não só contra o ministro da CGU, mas também contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), ministros e ex-ministros. No caso de Wagner Rosário, Lindôra afirmou que o relatório final da CPI da Covid não apresentou indícios mínimos da prática de crime de prevaricação e que não cabe o oferecimento de denúncia no caso.

Os senadores acusam Wagner Rosário de se omitir sobre a apuração de denúncias de corrupção e favorecimento a empresas privadas no processo de compra de vacinas contra a covid-19. No entanto, a vice-procuradora alegou que o relatório não especificou qual ato teria sido deixado de ser cumprido por Rosário e, por isso, pediu arquivamento do pedido da CPI.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store