Ouça a rádio

Compartilhe

Bolsonaro afirma que vai mostrar a Zelensky solução para a guerra contra a Rússia

Presidente sugeriu que Ucrânia siga caminho da Argentina na Guerra das Malvinas, quando o País se rendeu em 1982 

Bolsonaro sugeriu que Ucrânia siga caminho da Argentina na Guerra das Malvinas

O presidente Jair Bolsonaro, que deve conversar nos próximos dias com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, afirmou nesta quinta-feira (14) que vai sugerir uma solução para o fim da guerra. A invasão russa na Ucrânia já dura quatro meses. 

Conforme Bolsonaro, a rendição da Ucrânia é o que pode pôr fim ao conflito. Isso porque o presidente brasileiro comparou a situação ucraniana com a da Argentina na Guerra das Malvinas em 1982. Naquele ano, os argentinos se renderam ao exército inglês para encerrar a guerra. 

“Vou dar minha opinião a ele o que eu acho. A solução para o caso [guerra]. Eu sei como seria a solução. Mas não vou adiantar. A solução do caso… Como acabou a guerra da Argentina com o Reino Unido em 1982? É por aí. A gente lamenta. A verdade são coisas que dói, machuca, mas você tem que entender". 

Segundo Bolsonaro, Zelensky foi quem pediu a aproximação do Brasil.

"Foi ele que buscou conversa conosco. E eu disse de imediato que conversaria com ele, sim. Ele tem um país grande para administrar. Tudo que foi acordado com o presidente Putin está sendo cumprido. Da minha parte e da parte dele  (como o fornecimento de fertilizantes). Vou conversar bastante com ele [Zelensky]. É um liderança e vou dar minha opinião para ele. Essa guerra tem causado transtorno não só para o Brasil. Brasil menos. É muito mais para a Europa".

Bolsonaro conversou com o presidente russo Vladimir Putin neste ano e pediu que o envio de fertilizantes ao Brasil não fosse interrompido. Em junho, ao se encontrar com Joe Biden, Bolsonaro lamentou a invasão na Ucrânia, mas destacou que tinha outras prioridades. 

“Queremos a paz e faremos tudo para que a paz seja alcançada. Lamentamos os conflitos, mas tenho um país para administrar. E pelas suas dependências, temos que ser sempre cautelosos”.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store