Ouça a rádio

Compartilhe

Lula afirma que pediu a liberdade dos sequestradores de Abílio Diniz a FHC

A declaração do ex-presidente aconteceu durante evento em Alagoas

Lula afirma que pediu a liberdade dos sequestradores de Abílio Diniz a FHC

O ex-presidente e pré-candidato ao Palácio do Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou nessa sexta-feira (17) que, em 1998, procurou o então presidente, Fernando Henrique Cardoso (FHC), para pedir a liberação dos sequestradores do empresário Abílio Diniz.

Na época, eles estavam presos havia 10 anos e tinham começado uma greve de fome. Entre os sequestradores estavam argentinos, chilenos, canadenses e um brasileiro – os canadenses foram extraditados em 1998, em um acordo com o país da América do Norte.

“Esses jovens, tinha argentinos, tinha gente da América Latina, ficaram presos 10 anos. Teve um momento que eu fui conversar com o Fernando Henrique Cardoso porque eles estavam em greve de fome e iam entrar em greve seca, que é ficar sem comer e beber. A morte seria certa. Aí, então, eu fui procurar o ministro da Justiça, chamado Renan Calheiros.”

Diniz foi sequestrado em dezembro de 1989. Ele permaneceu seis dias em cativeiro em São Paulo, no porão de uma casa no bairro do Jabaquara. A polícia localizou o endereço a partir do cartão de uma oficina encontrado em um dos veículos usados no sequestro.

O empresário Abílio Diniz, do grupo Pão de Açúcar, foi sequestrado na manhã do dia 11 de dezembro de 1989 quando ia para o escritório. No dia 17 de dezembro, após um cerco de 36 horas, os dez sequestradores -quatro chilenos, três argentinos, dois canadenses e um brasileiro - se renderam. Eles pertenciam ao Movimento de Esquerda Revolucionária (MIR), do Chile.

Lula afirmou que em conversa com FHC ele disse que, soltando os presos, o então presidente poderia entrar para a história “como um democrata”, evitando que “ 10 jovens que cometeram um erro” morressem na cadeia. Ainda, segundo Lula, Fernando Henrique disse que libertaria os presos se eles parassem com a greve de fome.

“E eu fui na cadeia no dia 31 de dezembro conversar com os meninos e falar: ‘Olha, vocês vão ter de dar a palavra para mim, vocês vão ter de garantir pra mim que vão acabar com a greve de fome agora, e vocês serão soltos. Eles respeitaram a proposta, pararam a greve de fome e foram soltos. E eu não sei onde eles estão agora.”

A reportagem da Itatiaia entrou em contato com o assessoria de FHC e aguarda retorno.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido