Ouça a rádio

Compartilhe

Lula lamenta provável morte de Dom e Pereira e promete: 'se eleito, não haverá garimpagem em terra indígena'

O pré-candidato à Presidência da República ainda fez uma promessa, caso vença a eleição 

O petista participou de evento ao lado do pré-candidato ao Governo de Minas, Alexandre Kalil (PSD)

Pré-candidato à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lamentou a possível morte do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, desaparecidos na Amazônia desde o início do mês.

Em evento em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, nesta quarta-feira (15), o petista comentou sobre a situação, citando a repercussão internacional do caso, para, em seguida, pedir um minuto de silêncio para a dupla.

"Estou triste porque acabei de saber que a Polícia Federal possivelmente já tenha encontrado o corpo do indigenista e do jornalista assassinado na Amazônia. Esse país é grande, civilizado e não pode passar a imagem ao exterior de que somos incivilizados, que matamos quem defende a Amazônia. Que matamos quem denuncia a garimpagem na Amazônia', disse o pré-candidato.

Além de do ex-presidente, o encontro em Uberlândia contou com outras figuras importantes do cenário político de Minas e do Brasil, como o candidato à vice na chapa de Lula, Geraldo Alckmin (PSD) e o pré-candidato ao Governo de Minas, Alexandre Kalil (PSD).

Garimpo

Ainda sobre o desaparecimento de Dom e Pereira, Lula fez um promessa, caso vença as eleições em outubro.

"Em homenagem aos indígenas, quero dizer uma coisa que disse a eles: se nós ganharmos essas eleições, vou assumir o compromisso de que não haverá em hipótese alguma garimpagem em terra indígena. É importante nunca esquecer que não são os índios que ocupam nossa terra. Os portugueses que ocuparam a terra deles. A demarcação é um compromisso moral e ético. E posso dizer a vocês que é um compromisso de que irei demarcar todas as terras que precisam ser demarcadas, além de criar as condições para vocês sobreviverem nas terras que são de vocês".

Também nesta quarta, a força-tarefa responsável pelas investigações do desaparecimento e Dom Phillips e e Bruno Pereira localizou "remanescentes humanos" em uma área de mata fechada e a mais de 3 km do leito do rio Itaquaí, na região do Vale do Javari.

Mais cedo, a Justiça do Amazonas decretou a prisão temporária, pelo prazo de 30 dias, do pescador Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como "Dos Santos", o segundo suspeito preso na investigação do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido