Ouça a rádio

Compartilhe

Lula erra dados sobre a BR-381, mas promete concluir duplicação se eleito

Ex-presidente admitiu desconhecer os problemas recentes da obra na 'Rodovia da Morte', mas defendeu maiores investimentos federais 

BR-381 teve 60 quilômetros entregues entre 2014 e 2020

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quarta-feira (8), em entrevista à rádio 97 FM, afiliada da Itatiaia no Vale do Aço, que vai concluir a duplicação da BR-381, entre Belo Horizonte e Governador Valadares, se for eleito presidente da República. 

O ex-presidente, no entanto, admitiu não ter informações atuais sobre os problemas da rodovia e errou ao falar sobre a paralisação das obras. 

Segundo Lula, a duplicação começou a ser paralisada após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que aconteceu em 2016. Porém, desde 2015, ainda no governo petista, a duplicação começou a sofrer atrasos e paralisações. 

“Eu concluí a duplicação da BR-381 de Belo Horizonte até São Paulo. A presidenta Dilma começou a fazer o trecho de BH até Governador Valadares. Mas, logo depois veio o golpe e a obra ficou paralisada. Eu fiz o contorno da BR-381 que foi inaugurado pelo companheiro José Alencar em Ipatinga. Foi investimento que custou mais de R$ 60 milhões”, disse Lula.  

Paralisações

Em 2014, Dilma Rousseff assinou a ordem de serviço para a duplicação da BR-381. Os 303 quilômetros entre a capital mineira e Governador Valadares foram divididos em oito lotes e cada trecho foi licitado separadamente. 

As obra começaram no final de 2014, mas já em 2015, com a piora na situação econômica, surgiram paralisações e atrasos. Uma das empresas desistiu de continuar na obra e a duplicação da BR-381 foi levada para a Justiça.

Desde o segundo semestre de 2015, a duplicação entrou em marcha lenta e vários canteiros de obras ficaram abandonados. Cerca de 60 quilômetros foram concluídos em mais de seis anos, entre 2014 e 2020. Sem recursos federais para continuar a obra, o governo federal incluiu a “Rodovia da Morte” no pacote de concessões para a iniciativa privada. 

Concessão

A aposta no investimento privado também vem se mostrando complicada. O leilão da rodovia que havia sido marcado para o final do ano passado foi adiado porque nenhuma empresa apresentou uma proposta. O governo remarcou o leilão para outras duas datas neste ano e, novamente, o certame foi cancelado e não há nova data marcada para ocorrer.

“Nós precisamos terminar esse trecho da ferrovia 381 (sic), precisamos terminar. Sinceramente, não posso te falar agora porque a duplicação está parada, porque está andando a passos de tartaruga.  Quando Dilma começou estava andando bem e depois foi parando.  Se eu voltar, vamos concluir e eu vou inaugurar.  O Vale do Aço significa muito para mim. Espero como presidente poder voltar para anunciar as boas novas para a região”, afirmou Lula, que confundiu a rodovia com uma ferrovia. 

Segundo o Ministério da Infraestrutura, o projeto de concessão da rodovia 381 exige investimentos robustos que solucionem problemas consideráveis da via. A necessidade de desapropriações nas margens da estrada é considerada um dos principais entraves para a obra. O governo federal trabalha para que as tarifas praticadas pela futura concessionária sejam justas para os usuários das rodovias.


Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido