Ouça a rádio

Compartilhe

Responsáveis por vazamento de gás cloro em porto da Jordânia são demitidos

Incidente causou a morte de 13 pessoas e ferimentos em mais de 260

Incidente no porto jordaniano deixou mortos e feridos

Vários responsáveis foram demitidos após o vazamento de gás cloro ocorrido na segunda-feira (27) no porto de Aqaba, Mar Vermelho, que causou a morte de 13 pessoas e ferimentos em mais de 260, anunciou neste domingo o primeiro-ministro da Jordânia, Bisher al-Khasawneh. O vazamento ocorreu quando o cabo que erguia o tanque para embarcá-lo em um navio se rompeu. O contêiner despencou no cais, liberando o gás, de cor amarela.

Aqaba, um dos principais portos do Mar Vermelho, é o único porto da Jordânia, por onde transita a maior parte das importações e exportações do reino. Durante um Conselho de Ministros, Khasawneh disse que a investigação concluiu que houve "grande negligência nos procedimentos de segurança e no tratamento dos materiais perigosos" no porto.

Segundo o ministro do Interior, o acidente foi causado por "negligência em vários níveis". Ele apontou a responsabilidade do "diretor geral da Autoridade Marítima da Jordânia, do diretor geral da empresa que administra e opera os portos de Aqaba" e de outros dois chefes de departamento da empresa.

Um total de 95% dos cerca de 2.300 funcionários do porto de Aqaba iniciaram uma greve neste domingo, segundo o líder do sindicato dos trabalhadores do local, Ahmed Amayreh: "Protestam contra a falta de medidas de segurança no porto."

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store