Ouça a rádio

Compartilhe

Rússia promete 'sérias' consequências à Lituânia por bloqueio ferroviário a Kaliningrado

País que integra a União Europeia e a Otan é acusado de introduzir restrições ao tráfego ferroviário à região

Rússia acusa integrante da Otan de dificultar trânsito em ferrovias

A Rússia alertou nesta terça-feira (21) que tomará "sérias" medidas contra a Lituânia, país que integra a União Europeia e a Otan, pela imposição de restrições ao trânsito ferroviário para seu exclave de Kaliningrado em razão das sanções ocidentais contra Moscou.

"A Rússia, é claro, reagirá a esses atos hostis. Medidas apropriadas estão sendo elaboradas no nível interministerial e serão adotadas em breve", anunciou Nikolai Patrushev, secretário do Conselho de Segurança da Rússia, durante visita a Kaliningrado, um exclave russo situado entre Lituânia, Polônia e o Mar Báltico.

"Haverá sérias consequências negativas para a população da Lituânia", acrescentou Patrushev, citado pela agência de notícias Interfax. 

Na segunda-feira, a Rússia disse que a Lituânia havia introduzido restrições ao tráfego ferroviário para a região de Kaliningrado no fim de semana como parte das sanções europeias pela invasão da Ucrânia. 

Este exclave estratégico e militarizado, sede da frota russa no Mar Báltico, faz fronteira com a Lituânia e a Polônia, dois países-membros da Otan e da União Europeia que apoiam firmemente a Ucrânia desde o início do conflito.

Em reação, o chefe da delegação da UE na Rússia, Markus Ederer, foi convocado ao Ministério das Relações Exteriores em Moscou nesta terça-feira.

Por sua vez, os Estados Unidos reagiram às ameaças russas oferecendo apoio à Lituânia. "Respaldamos nossos aliados da Otan e apoiamos a Lituânia", disse aos jornalistas o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price.

Em um comunicado, a diplomacia russa acusou a UE nesta terça-feira de encorajar uma "escalada" e exigiu a restauração imediata do trânsito para Kaliningrado. 

No texto, apontou "a inadmissibilidade de tais ações, que violam as obrigações legais e políticas da União Europeia e levam a uma escalada de tensões".

Denunciando um "bloqueio", o governador de Kaliningrado, Anton Alikhanov, estimou que entre 40% e 50% das importações do enclave poderão sofrer restrições, desde carvão a metais, passando por materiais de construção e bens tecnológicos.

Alguns moradores da região disseram à AFP que não estão preocupados, pois as autoridades garantiram que as mercadorias poderão ser entregues por via marítima.

"É claro que as sanções deixarão sua marca em nossa região [...] Mas acho que o governo encontrará uma solução para essa situação muito rapidamente e que tudo será resolvido em um futuro próximo", disse Olga Klimova, funcionária municipal de 40 anos.

Semen Shchegolyatov, um marinheiro de 36 anos, comentou seu espanto pelo fato de a Rússia ter expressado surpresa com as restrições, já que era esperado que as sanções afetassem o trânsito de mercadorias.

"Há quatro meses começou a operação especial, como marinheiro que ia para a Lituânia fomos informados", explicou, lembrando que agora a única solução é desenvolver uma rota marítima.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido