Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Dono do Manchester City pode perder clube por ligações com a Rússia

Representantes de ativistas ucranianos apontam que Sheikh Mansour menteve relações com os russos em meio a invasão

Sheikh Mansour pode ter que se afastar do City por possíveis relações com a Rússia

Sheikh Mansour pode ter que se afastar do City por possíveis relações com a Rússia

Reprodução/Manchester City

Um escritório de advocacia que atua em nome de ativistas da Ucrânia pediu ao governo britânico que investigasse as relações entre Sheikh Mansour, atual proprietário do Manchester City, e a Rússia. A informação vem sendo veiculada em jornais de toda a Europa, indicando que Mansour poderia ter participação indireta no conflito entre russos e ucranianos.

Segundo os advogados, que não tiveram os nomes revelados por medo de represália russa, uma carta foi enviada ao ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, James Cleverly. Eles destacam que Sheikh Mansour, que também é primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos, teria ajudado empresários da Rússia a transferir riquezas para a nação asiática durante a guerra com a Ucrânia.

Se o governo britânico determinar que Mansour tem ligações com o caso, ele não poderia seguir como proprietário do Manchester City, seguindo regulamentos de propriedade da Premier League.

Situação semelhante aconteceu em 2021 com o russo Roman Abramovich, que era dono do Chelsea. Relações entre ele e o governo russo foram comprovadas, fazendo com que o clube sofresse sanções e o empresário fosse obrigado a vender os Blues, que agora pertencem a um grupo estadunidense comandado por Todd Boehly.

Os advogados que representam os ativistas russos emitiram um comunicado reforçando que não acusam Sheikh Mansour, mas destacam que ele "é uma pessoa que deveria estar sujeita a um escrutínio razoável por parte do Governo britânico”.

“Mas, à luz do facto de haver provas de domínio público de que alguma riqueza russa foi transferida para os EAU, sugerimos que haja uma base para o governo britânico realizar uma investigação”, diz trecho do documento publicado pelo Jornal As, da Espanha.

Além dessa polêmica, o Manchester City já está sendo investigado pela Premier League por mais de 200 violações das regras econômicas da liga.

Jornalista formado na PUC Minas. Experiência com reportagens, apresentação e edição de texto em televisão, rádio e web. Vivência em editorias de Cidades e Esportes.
Leia mais