Ouça a rádio

Compartilhe

Flávio Venturini compôs clássicos da música brasileira e fundou o 14 Bis 

Cantor e compositor mineiro é parceiro de Guarabyra, Renato Russo e Murilo Antunes em canções que alcançaram sucesso

Flávio Venturini é compositor de sucessos como 'Linda Juventude', 'Espanhola' e 'Nascente'

Flávio Venturini nasceu no dia 23 de julho de 1949. Mineiro de Belo Horizonte, fez parte do grupo O Terço antes de fundar o conjunto 14 Bis. Em seguida, partiu para a carreira-solo e compôs sucessos como “Linda Juventude”, “Nascente” e “Espanhola”, dentre outros, atingindo a sua consagração na música popular brasileira. Ele foi regravado por nomes como Emílio Santiago, Milton Nascimento, Jane Duboc, Hebe Camargo e Leila Pinheiro.

“Espanhola” (balada, 1982) – Flávio Venturini e Guarabyra

Composta em parceria com Guarabyra, do antigo trio Sá, Rodrix e Guarabyra, “Espanhola” é a música mais conhecida do repertório de Flávio Venturini e foi um grande hit na década de 1980, mais precisamente em 1982, quando foi lançada no álbum “Nascente”, sendo regravada por um grande número de cantores em vários países. A gravação mais lembrada, no entanto, ficou sendo a feita pelo grupo 14 Bis, em 1987, durante uma gravação ao vivo no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, que marcou a despedida de Venturini do grupo.

“Mais Uma Vez” (balada, 1987) – Renato Russo e Flávio Venturini

Um encontro casual entre Renato Russo e Flávio Venturini nos estúdios da EMI-Odeon, em 1986, gerou uma das mais bonitas canções brasileiras sobre esperança. Os respectivos líderes da Legião Urbana e do grupo 14 Bis estavam ocupados com as gravações dos álbuns “Dois” e “Sete” quando se encontraram nos corredores.

Venturini improvisava uma melodia e Renato se propôs a escrever a letra, com a ideia de uma composição que falasse que o sol voltaria a brilhar após a tempestade. A espera valeu a pena. O resultado, três meses depois, foi a gravação em dueto de “Mais Uma Vez”, balada lançada pelo grupo 14 Bis, em 1987.

Anos depois, uma versão apenas com Renato, editada no álbum póstumo “Presente”, estourou em todo o país e virou o tema de “Mulheres Apaixonadas”, de Manoel Carlos, exibida na Rede Globo.

“Nascente” (clube da esquina, 1977) – Flávio Venturini e Murilo Antunes

Não é exagero dizer que “A Página do Relâmpago Elétrico” foi um acontecimento na música mineira. O primeiro disco de Beto Guedes congregou sucessos que são cultuados até hoje, como “Nascente” (de Flávio Venturini e Murilo Antunes), “Belo Horizonte” (de Godofredo Guedes), “Maria Solidária” (parceria com Milton Nascimento) e “Luminar” (de Guedes e Ronaldo Bastos), além da faixa-título, outra da dupla. “Luminar” foi uma dessas canções arrebatadoras, responsável por puxar o êxito da estreia de Guedes. A música ganhou uma regravação exemplar do grupo Roupa Nova, já no ano de 1982.

“Belo Horizonte” (valsa, 2006) – Flávio Venturini e Murilo Antunes

Ao lado de Murilo Antunes, Flávio Venturini compôs a bela “Nascente” e também a valsa “Belo Horizonte”, que veio ao mundo em 2006. A peça é uma delicada homenagem à cidade natal de Venturini, com uma letra sensível, que clama, pede socorro e tece carinhos. Foi lançada no álbum “Canção Sem Fim”, mais um bonito título da obra de Flávio.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store