Ouça a rádio

Compartilhe

Zé Calixto foi um dos grandes sanfoneiros do Brasil e gravou clássicos 

Natural de Campina Grande, na Paraíba, ele ficou conhecido por tocar o fole de oito baixos e se tornou um representante do forró

Zé Calixto se tornou um dos maiores sanfoneiros da Paraíba com o seu fole de oito baixos

Natural de Campina Grande, na Paraíba, Zé Calixto ficou conhecido por tocar o fole de oito baixos. Aos 12 anos, o músico já participava de shows de forró. Zé Calixto tocou ao lado de grandes nomes do forró, entre eles, Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro.

Com sua sanfona de oito baixos, chamou tanto a atenção dos produtores cariocas, que logo foi contratado pela Phillips, passando a gravar um LP por ano. Zé Calixto faleceu em dezembro de 2020, vítima de complicações decorrentes do Alzheimer contra o qual lutava há anos.

“Cuco” (choro-baião, 1952) – Paschoal Melillo

Acordeonista e saxofonista, Paschoal Melillo nasceu em Itararé, no interior de São Paulo. Contratado pela gravadora Copacabana, Paschoal lançou os seus primeiros discos em 1952, quando apresentou pela primeira vez o choro-baião “Cuco”. A música fez tanto sucesso que seria revisitada por ele em 1957, no LP “Paschoal Melillo, Seu Saxofone e Seu Conjunto”. Coube ao habilidoso Zé Calixto revisitar a canção em 1964, quando ele regravou “Cuco”, pela gravadora Philips, no LP “Sanfoneiro Pai D’Égua”.

“Espinha de Bacalhau” (choro, 1936) – Severino Araújo

Nascido em Limoeiro, no interior de Pernambuco, Severino Araújo mudou-se para João Pessoa, na Paraíba, ainda na década de 30. Filho de um mestre de banda, ele logo adotou a clarineta como instrumento predileto. Em 1936, o futuro maestro da Orquestra Tabajara, que dirigiu por décadas, compôs o maior de todos os seus sucessos.

“Espinha de Bacalhau”, um choro ligeiro como os melhores do gênero. Em 1981, a composição ganhou letra de Fausto Nilo e interpretação de Ney Matogrosso e Gal Costa. Também foi regravada por Dominguinhos, Altamiro Carrilho e Zé Calixto, em uma nova versão de 1991.

“Chorando na Rampa” (forró, 2000) – Truvinca

No ano 2000, em comemoração à sua vitoriosa carreira de sucessos, Zé Calixto gravou pela Eldorado o álbum “40 Anos de Forró”, em que interpretou “Chorando na Rampa”, de Truvinca.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store