Ouça a rádio

Compartilhe

Caetano Veloso homenageia Bruno e Dom em show em Brasília 

Artista levantou uma bandeira com os rostos do indigenista e jornalista britânico estampados 

Caetano mostrou rostos de Bruno e Dom estampados em bandeira em show

O cantor e compositor Caetano Veloso prestou uma homenagem ao indigenista Bruno Pereira e ao jornalista britânico Dom Phillips durante seu show na noite desse sábado (18), em Brasília, no Distrito Federal (DF). Os dois foram mortos no Vale do Javari, na Amazônia, durante uma expedição. 

Caetano foi bastante aplaudido após abrir uma bandeira com os rostos deles estampados. Em meio a protestos, o artista questionou: "Por que interromperam as investigações?". Os vídeos repercutiram nas redes sociais.

Quatro mil pessoas acompanharam o show do artista no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, onde foi realizado o espetáculo da turnê “Meu coco”. O cantor celebra 80 anos no dia 7 de agosto. 

Ainda no sábado, o cantor e compositor Nando Reis, que se apresentou em Manaus, capital do Amazonas, também homenageou o indigenista e o jornalista. 

Mortes

O indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips foram mortos a tiros com munição típica de caça. As informações foram divulgadas pela Polícia Federal (PF) neste sábado (18). Segundo a instituição, Bruno foi atingido com dois tiros na região abdominal e torácica e um na cabeça. Já Dom Phillips foi baleado no abdômen/tórax.

Neste domingo (19), mais cinco suspeitos de participação no crime foram identificados pela PF. Eles teriam ajudado a ocultar os corpos. "As investigações continuam no sentido de esclarecer todas as circunstâncias, os motivos e os envolvidos no caso", diz o comunicado da instituição. No entanto, as identidades dos suspeitos não foram reveladas. 

Até o momento, três pescadores foram detidos: Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado;  o irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como Dos Santos; e Jeferson da Silva Lima, conhecido como Pelado da Dinha. O trio teve prisão temporária de 30 dias decretada pela Justiça do Amazonas.

A Polícia Civil do Amazonas ainda investiga se existem mais pessoas envolvidas no crime. 


Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido