Ouça a rádio

Compartilhe

Zema reafirma desejo de ter Eduardo Costa como vice e PSDB no governo

À Itatiaia, governador afirma que gostaria de contar com o comunicador como vice mas, para isso, depende de aval dos tucanos

Zema diz que quer Eduardo Costa como vice na chapa

O governador Romeu Zema (Novo) elogiou as gestões do PSDB à frente do Governo de Minas. Em entrevista exclusiva à Itatiaia, Zema disse que compartilha da visão das gestões dos ex-governadores Aécio Neves e Antonio Anastasia e que gostaria de contar com o comunicador Eduardo Costa (Cidadania) como seu candidato a vice.

A confirmação de Costa depende do aval do PSDB, que formalizou uma federação com o Cidadania, e que, hoje, tem um pré-candidato ao governo estadual, o ex-deputado federal, Marcus Pestana.

"A gestão de Aécio e Anastasia organizaram o Estado de Minas e deixaram para o seu sucessor, um estado funcionando. Uma situação muito diferente da minha, que assumi pós-gestão Pimentel [ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel] e PT com estado caótico, destroçado, que não funcionava, não pagava ninguém na data certa. O que temos em comum é essa visão, de estado organizado", afirmou Zema.

O governador também disse que recuperou programas lançados pelo PSDB e que foram esquecidos durante a gestão de Pimentel no governo do Estado.

"A relação com o PSDB sempre foi muito boa. Sempre conversamos com os deputados do PSDB, que trabalham conosco e sabem que muitos planos do PSDB que ficaram esquecidos na gestão PT, nós resgatamos", disse.

O govenador reforçou a presença dos tucanos na atual gestão lembrando que seu vice, Paulo Brant, e a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Luisa Barreto, são filiados à legenda e que teve como líder de governo na Assembleia, o deputado Luiz Humberto Carneiro, também tucano. Zema ainda afirmou que espera que o PSDB tenha "visão de futuro" e que ambos têm um inimigo em comum.

"Temos muita coisa em comum. Queremos que o estado funcione adequadamente. Hoje, nós temos que lembrar que tudo isso pode ir por água abaixo, caso o pessoal do grupo do Pimentel e o PT voltem a governar Minas Gerais. Eles só estão de cara nova, que é a cara do meu adversário. Mas, quem está ali por trás é o partido, o mesmo grupo que causou a ruína de Minas Gerais", critica Zema, sem citar o nome de seu adversário, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD).

Convenção do partido Novo

Ainda em entrevista à Itatiaia, Romeu Zema disse que tenta convencer o seu partido a liberar a formação de alianças para a disputa eleitoral. O governador prevê "problemas" no futuro, caso seja eleito em uma chapa puro-sangue, formada apenas por filiados ao partido Novo.

Na sexta-feira (15), ele convidou o deputado federal Marcelo Aro (PP) a disputar a vaga no Senado Federal pela sua chapa. Na semana passada, Zema recebeu o apoio do MDB, encabeçado pelo deputado federal Newton Cardoso Jr., filho do ex-governador Newton Cardoso.

"O partido Novo precisa ter abertura, principalmente em Minas Gerais, onde estamos pleiteando a reeleição, situação diferente de outros estados, onde estamos pleiteando a eleição", adianta.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store