Ouça a rádio

Compartilhe

PL de Minas não confirma Viana candidato e convenção tem saia-justa com deputada

Partido só aprovou chapa de candidatos a deputado estadual e federal, mas decisão sobre nome para Governo de Minas e Senado ficará para agosto

Convenção do PL definiu chapa com candidatos a deputado estadual e federal

A convenção estadual do Partido Liberal (PL) em Minas Gerais, ocorrida nesta quarta-feira (20), na Assembleia de Minas, aprovou os nomes de candidatos a deputado estadual e federal da legenda para as eleições deste ano.

A expectativa para confirmação do senador Carlos Viana para encabeçar a chapa de disputa ao Governo de Minas não foi concretizada - assim como o nome do deputado Marcelo Álvaro Antônio para o Senado. O partido tem até 5 de agosto para oficializar a chapa junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

"O partido optou por deixar a ata aberta até o dia 5 para que as definições aconteçam dentro do prazo definido por lei. Todos os partidos têm agido dessa forma e o que importa é que estamos com partido unido e que, sem dúvida, vai fazer uma grande bancada de deputados e, quem sabe, fazer o governador e o senador pelo estado de Minas Gerais", afirmou Marcelo Álvaro Antônio.

O encontro partidário foi marcado por bate-boca e uma saia-justa envolvendo a pré-candidatura a deputada estadual de Rosângela Reis, que atualmente é parlamentar pela legenda no Legislativo estadual, mas não teve seu nome inscrito na chapa de candidatos aprovada pela convenção.

Líderes da legenda de Jair Bolsonaro no estado questionaram a presença de Rosângela depois de uma confusão ocorrida na noite de ontem na sede do partido. A deputada chegou a registrar um boletim de ocorrência contra o partido por fraude eleitoral.

Na guerra de versões, Rosângela alega que lideranças da legenda tentam inviabilizar sua candidatura, que afetaria a votação de outros candidatos. Em 2018, ainda filiada ao Podemos, a deputada, que tem base eleitoral no Vale do Aço, recebeu pouco mais de 70 mil votos. Por sua vez, o PL afirma que ela estava filiada duplamente - ao PL e MDB.

Sem citar o nome de sua colega na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Coronel Sandro, disse que ela entrou no partido "pelo porão" e que não seria digna de estar filiada ao partido.

"Se tem uma coisa que aprendi na infância, com minha mãe e minhas duas tias que me criaram, é que quando a gente entra em uma casa, somos convidados e entramos pela porta da frente. Aquele que ingressa em uma casa sem ser convidado e o faz pelo porão não é digno de estar nessa casa. Esse princípio é inegociável", afirmou.

"Fomos comunicados que havia uma deputada filiada em dois partidos, PL e MDB. ao mesmo dia e ao mesmo tempo. Isso não é papel que se faça. Temos que ter respeito e os pré-candidatos que já estão trabalhando há muito tempo para chegar na Assembleia e no Congresso Nacional", afirmou o deputado federal Bernardo Santana.

Durante seu discurso na convenção, Rosângela Reis se defendeu, destacou sua atuação parlamentar, mas disse que assim como os demais pré-candidatos, tinha o direito de ter seu nome aprovado na convenção.

"Não quero tirar a vaga de nenhum dos senhores e das senhoras. Meu direito é também direito de vocês de ter o nome aprovado", afirma.

Cárcere privado

Em nota divulgada hoje, o PL de Minas Gerais diz que o partido vem trabalhando na montagem da chapa de candidatos que disputarão uma vaga na Assembleia e na Câmara dos Deputados desde o ano passado "observando igualdade entre os candidatos e candidatas, nos termos da legislação eleitoral".

Sobre a confusão na sede do PL na noite desta terça-feira (19), o PL afirmou que foi surpreendido pela conduta de dois assessores de Rosângela Reis, que teriam invadido o local e mantido dois funcionários em cárcere privado. A reportagem acionou a deputada pedindo posicionamento sobre a acusação.

Ainda em nota, o PL diz que a direção partidária "garantiu a inscrição do nome da pré-candidata Rosângela para disputar em igualdade de condições com outras filiadas e filiados do partido a uma vaga para Deputada Estadual, nos termos do Estatuto Partidário e da legislação vigente".

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store