Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Gasolina fica 1% mais barata em postos na Grande BH em outubro

O combustível registrou queda de R$ 0,06 em relação ao início de setembro

A gasolina começou o mês de outubro 1% mais barata nos postos de combustíveis da Grande BH. O litro do produto é encontrado a um preço médio de R$ 5,54, seis centavos a menos que o valor em setembro, conforme o site de pesquisas Mercado Mineiro e pelo aplicativo ComOferta.com.

O etanol se manteve estável e segue vendido a R$ 3,53 o litro, em média, na região metropolitana. O valor corresponde a 64% do litro da gasolina e mostra que o etanol ainda é mais vantajoso na hora de abastecer. Porém, muita gente ouvida pela Itatiaia não tem reparado nessa diferença.

Pedro Henrique de Carvalho Lopes, autônomo, contou que muitas vezes precisa abastecer o carro com álcool pelo alto valor da gasolina. “Não tenho ideia do preço médio, ainda não fiz as contas, mas a gasolina está muito cara, a gente apela pro álcool”, relata.

Marisa Perpétua afirmou que abastecer com gasolina se torna mais econômico. “Eu vi que o álcool abaixou de preço mas não sei se é mais vantajoso para o carro, principalmente para rodar no Centro”, afirma.

O ponto negativo na pesquisa, apesar de esperado, foi a nova alta do diesel, impactada pela volta de tributos federais. O litro subiu 9 centavos em relação ao dia 9 de setembro, alta de 1,5% no período. O coordenador do site de pesquisas Mercado Mineiro, Feliciano Abreu, prevê novas altas no diesel e impactos em diferentes setores da economia até o fim do ano.

“A gente tem um aumento acumulado acontecendo. O diesel tem um preço médio de R$ 6,09, a expectativa é que a gente vai ter um aumento em torno de R$ 0,10 e até mais aumentos até a chegada de janeiro, como foi prometido de janeiro. Esses aumentos também vão chegar nas prateleiras do supermercado, na casa de carnes, no hortifruti”, explica.

A pesquisa foi realizada em 200 postos da Grande BH entre o domingo (1º) e segunda (2), identificando uma grande variação no preço médio dos combustíveis, que chega a 37% no caso do etanol e a 23% no da gasolina, dependendo do posto e da região pesquisada.

Júlio Vieira é repórter da Itatiaia.
Leia mais