Ouça a rádio

Compartilhe

PBH mantém obrigatoriedade de uso de máscaras em ambientes fechados

A continuidade de utilização das máscaras deve ser mantida nos equipamentos e serviços de saúde da cidade, públicos ou não, e no transporte coletivo

O município seguirá com o acompanhamento diário dos números da Covid-19

O uso de máscaras em locais fechados na capital mineira continuará sendo obrigatório até o dia 15 de agosto. A decisão foi tomada pelo Grupo Técnico da Secretaria Municipal de Saúde em reunião com o prefeito Fuad Noman, e publicada nesta quarta-feira (27). A administração municipal seguirá com o acompanhamento dos números da Covid-19.

Segundo a prefeitura, a obrigatoriedade será mantida considerando o surgimento da variante BA5, o retorno presencial das aulas a partir de 1º de agosto e a baixa cobertura vacinal do público infantil.

O subsecretário de Promoção e Vigilância à Saúde, Fabiano Pimenta, destaca à Itatiaia a importância da vacina para que a capital volte a conviver em ambientes fechados sem a máscara. Até o momento, a cobertura vacinal é de 60% o que, segundo Fabiano, é maior do que em muitos municípios, mas está longe do ideal.

"Não é a cobertura vacinal desejável para esse cenário de transmissão da BA5. Nós precisamos chegar no mínimo a 80% de cobertura vacinal e contamos com a participação da população."

A continuidade de utilização das máscaras deve ser mantida nos equipamentos e serviços de saúde da cidade, públicos ou não, nos ônibus e nas situações específicas previstas em protocolo, como no self-service.

No dia 14 de junho, a prefeitura anunciou o retorno do uso de máscaras em locais fechados para conter a disseminação da doença na cidade. O item havia sido desobrigado no dia 28 de abril, sendo mantido apenas no transporte público e unidades de saúde em geral. No entanto, após aumento dos casos, a máscara voltou a ser obrigatória em ambientes fechados.

Vacinação

A segunda dose para o grupo de 5 a 11 anos, por exemplo, está em 61,4%. Já a dose de reforço do público de 12 a 17 anos está em 22,1%, enquanto a segunda dose de reforço para adultos de 40 anos ou mais está em 29,8%, índices abaixo do ideal.

Um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde também mostra que mais de 80% das pessoas internadas pela Covid-19 não se vacinaram ou não completaram o esquema vacinal.

 A administração municipal realiza ações de repescagem para pessoas já convocadas. Para mais informações, acesse o site da PBH.

Covid em BH

O boletim epidemiológico mais recente, divulgado na última sexta-feira (22), aponta que neste ano 713 pessoas morreram em decorrência da doença na capital, sendo 371 homens e 342 mulheres.

Sobre a vacinação, 2.336.418 pessoas tomaram a 1ª dose, 2.148.814 a 2ª dose, 66.464 dose única, 1.760.007 a 1ª dose de reforço e 377.904 a 2ª dose de reforço.

(com informações de Patrícia Marques)

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store