Ouça a rádio

Compartilhe

Homem é preso suspeito de estuprar menina de 13 anos que conheceu pelo Facebook em Contagem

Vítima conheceu o homem pelas redes sociais há cerca de um mês

Homem teria obrigado a menina a passar a noite na casa dele

Um homem de 35 anos foi preso no bairro Jardim Laguna, em Contagem, na Grande BH, suspeito de abusar sexualmente de uma menina de 13 anos. Segundo a Polícia Militar (PM), a vítima conheceu o homem pelas redes sociais há cerca de um mês, após ele enviar um pedido de amizade pelo Facebook.

Vítima e suspeito moram no mesmo bairro, e na noite de sábado (16) ele teria marcado um encontro na porta da casa da menina para conversar. No portão de casa, a adolescente foi ameaçada, rendida e levada para a casa do homem.

Ainda conforme a PM, ela foi estuprada e liberada somente na manhã de domingo (18), quando a PM foi acionada pelos pais da vítima. O tenente Teles, do 18º Batalhão, disse que os pais estavam dormindo quando a filha saiu para encontrar com o abusador na porta de casa.

“O pai acordou e deu falta da filha. Começaram a procurar no bairro, não a encontrando. Essa criança, posteriormente, chegou em casa sentindo muitas dores foi quando falou para pai dela que havia sido vítima de estupro”, explicou o militar, que confirma os primeiros contatos feitos pela rede social, há um mês.

“Daí então começou a procurá-la nessa rede social, sempre chamando de amor e pedindo nudes. Ela mantinha uma conversa, mas, segundo a vítima, nunca mandou nada. Ele então marcou com ela na madrugada de domingo”, completou o tenente.

Ainda conforme a polícia, o homem o ameaçou matar a menina, caso ela não fosse para a casa dele. Ele pegou a vítima pelo braço e levou para um barracão, onde consumou o estupro de vulnerável. O suspeito ainda mentiu ao ser preso. “Ele falou que a menina queria e, inclusive, que ela não era tão santinha e já tinha um filho, o que é mentira dele”, garantiu o tenente.

O pai disse que a família já estava monitorando o aparelho celular da filha e viu o autor insinuando para a filha. “O que eu tenho para falar para os pais, se possível, caso a pessoa não for maior e ter responsabilidade, não solta computador, celular em mão de criança, porque acontece o pior. Dou graças a Deus que livrou, porque ela poderia nem ter voltado”, disse.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store