Ouça a rádio

Compartilhe

Prédios antigos em BH: edifício Acaiaca tem abrigo antiaéreo

O alto do prédio tem uma das mais belas vistas da capital mineira 

Edifício Acaiaca é conhecido por ter do alto uma das mais belas vistas de Belo Horizonte

A Itatiaia apresenta uma série especial sobre os prédios centenários que guardam histórias sobre o crescimento de Belo Horizonte, produzida pelo repórter Edson Costa. A primeira viagem no tempo começa em 1.943, na avenida Afonso Pena em frente às ruas Espírito Santo e Tamôios: é o emblemático edifício Acaiaca.

Duas carrancas que são faces de dois índios representam os indígenas da terra do idealizador do prédio: Esmeraldas. A professora de arquitetura da UFMG, Vanessa Borges, fala as principais características do imponente prédio.

"Foi primeiro o grande dito arranha-céu com seus trinta pavimentos, equivalentes a 120 metros de altura. Um conjunto de elevadores de grande velocidade. É conhecido também pelos belo-horizontinos que chega do térreo ao 25° pavimento em 20 segundos; a presença de um bunker, um abrigo anti-aéreo que é uma particularidade da legislação urbanística durante o período da Segunda Grande Guerra Mundial, além das múltiplas funções abrigadas por esse complexo, como salas, lojas e cinema."

Parte do Acaiaca é tombado pelo Patrimônio Municipal e por isso ele mantém características da época. A diretora de patrimônio cultural e arquivo público, François de Oliveira, explica o significado patrimonial do edifício.

"Significa dizer que o poder público reconhece que aquela edificação, aquele território ou aquele bem imóvel, tem um valor que é coletivo, um valor para a sociedade. Que pode ser um valor em função da sua importância histórica, em função da sua importância estética e artística. Às vezes não tem nenhuma grande relevância arquitetônica e histórica, mas tem uma importância simbólica para uma determinada comunidade, porque deu o uso que é importante para aquele bem cultural e ele passa a ser o elemento de identidade pra essa comunidade."

O atual síndico do prédio tem uma relação com o Acaiaca desde criança. Conheceu o prédio, levado pelo pai, ainda pequeno e se impressionou com a grandiosidade da construção. Antônio Rocha Miranda fala sobre a versatilidade do prédio.

"Aqui funcionou a TV Itacolomi no 23° e 24° andares. Aqui funcionou a Faculdade Letras da UFMG."

Atualmente, o Acaiaca tenta se reinventar e tornar atração turística além de aproveitar o movimento das noites de Belo Horizonte, através do Acaiaca Rooftop que faz eventos no alto do prédio diante da paisagem estonteante da cidade vista do alto. Para Miranda a vista é incomparável.

"Lá em cima nós temos uma vista maravilhosa de 360°. Eu costumo dizer que a vista mais bonita de Minas Gerais. No meu livro que chama Edifício Acaiaca, o Colosso Humano e Concreto eu digo o seguinte: vir à Belo Horizonte e não conhecer o edifício Acaiaca é como você ir à Paris e não visitar a Torre Eiffel."

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store