Ouça a rádio

Compartilhe

Incerteza sobre renovação do Auxílio Belo Horizonte aumenta apreensão entre famílias na capital

Conforme programação, benefício é pago em seis parcelas mensais consecutivas a partir da data de solicitação

Segundo a Secretária de Assistência Social de BH, mais de 204 mil famílias já receberam o benefício

Parte das famílias que recebem o Auxílio Belo Horizonte ficam sem receber o benefício no fim deste mês, e a renovação do pagamento ainda é uma incerteza. O auxílio foi criado para dar suporte a famílias de baixa renda na capital em meio à pandemia da Covid-19.

Até o momento, certo é que o benefício, de em média R$ 100 mensais por família, está garantido pelos seis meses a cada grupo cadastrado. Uma possível prorrogação do benefício é costurada entre a prefeitura da capital e a Câmara dos vereadores. Enquanto isso, o cenário é de medo para quem pode não ter mais uma renda em casa.

"Eu não tenho ninguém para me ajudar, não tenho parentes e não conto com ninguém, por isso não sei o que vou fazer. Estou correndo atrás para alguém fichar minha carteira, e hoje precisam de muita coisa para isso. Espero que o benefício não acabe", desabafa Cleonice Sacramento, que está desempregada e depende do Auxílio BH.

A Secretária de Assistência Social da capital, Maíra Colares, faz um balanço do benefício até o momento.

"Mais de 204 mil famílias receberam os auxílios, sendo 124 mil famílias para estudantes, 120 mil famílias em situação de vulnerabilidade, 14 mil famílias em situação de pobreza e 61 mil famílias em situação de extrema pobreza", detalha.

Ela explica ainda que o período de pagamento é sempre variável. Por isso, nesta reta final do benefício, muitos ainda vão receber o pagamento até setembro. É o caso de quem começou a receber o benefício em março.

"As famílias elegíveis a receber o auxílio tiveram quase cinco meses para fazer a solicitação. Então, o período de pagamento depende de quando a família solicitou. Por exemplo: quem solicitou em novembro, recebeu de dezembro a maio. Sendo assim, quem solicitou em março, começou a receber em abril, e a gente ainda tem previsão de pagamento de parcelas até setembro de 2022. A data varia conforme o mês que as famílias começaram a receber, pois a lei determina que seriam seis parcelas consecutivas pagas a partir da solicitação", concluiu Colares.

(Com informações de Camila Campos)

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido