Ouça a rádio

Compartilhe

Crise: custo elevado na produção de leite leva ao pior momento dos últimos anos, afirmam produtores  

Pequenos e médios produtores desistem da atividade devido aos altos custos  

Pequenos e médios produtores desistem da atividade devido aos altos custos

Se por um lado o litro do leite está caro para o consumidor para quem produz a bebida os custos estão elevados e a categoria afirma que não consegue obter lucro. Quem avalia é José Francelino, produtor de leite da região do Alto Paranaíba e representante da Coopatos, Cooperativa de Laticínios de Patos de Minas, que afirma que muitos produtores estão desistindo da atividade.

"A gente está assistindo uma saída muito grande de produtores da atividade, principalmente de pequenos e médios produtores que em razão do custo da alimentação, silagem e algumas questões climáticas que aconteceram, isso vai acumulando em cima de toda essa cadeia que infelizmente ainda não conseguiu se organizar de tal forma que ela possa buscar através do diálogo, através da negociação, um preço mais justo para aqueles que estão produzindo", relata à repórter Camila Campos.

O produtor espera uma mudança no cenário. "Nós esperamos que possa encontrar um entendimento aonde todos os elos da cadeia participem desse desafio para que a atividade leiteira continue tendo a importância que tem para Minas Gerais e para o Brasil."

Marcelo Candiotto, presidente da maior cooperativa em produção de leite no Brasil, revela os números do mercado mineiro. "O estado de Minas Gerais é o maior produtor de leite do Brasil, responsável por 30% do leite produzido. São 9,67 bilhões de litros de leite fornecidos, mensalmente, para todos os laticínios e indústrias produtoras do estado."

Vasco Praça Filho, presidente da Fecoagro Leite Minas e da CEMIL, detalha que nos últimos anos com crescimento do valor dos insumos, como milho e soja, houve uma dificuldade na produção. "Os insumos são para alimentar nossas matrizes leiteiras e realmente o custo ficou muito difícil, muitos produtores pararam com a atividade, mas muitos vão ficar e muitos vão ter resultados bons com o leite."

Ouça, aqui, a matéria completa.

De acordo com o analista de agronegócios da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais/FAEMG, Alexandre Gonzaga, a tendência é que de haja uma estabilidade no preço do leite para o produtor. "O preço médio pago ao produtor mineiro do leite produzido em abril teve um aumento de 10% por cento em relação ao mês anterior. Porém, para o leito produzido em maio a tendência é de estabilidade. No mês de abril vimos a desaceleração no crescimento dos custos de produção, considerando a leve queda do dólar. É provável que a margem de lucro dos produtores de leite melhore um pouco em junho."

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido