Ouça a rádio

Compartilhe

Família de brasileiro desaparecido na Ucrânia tem esperança de encontrá-lo vivo

Última informação que familiares obtiveram era de que André Hack Bahi estava numa missão em Severodonetsk, região dominada pelos russos

André Hack, de 43 anos, desembarcou na Ucrânia no dia 28 de fevereiro

A irmã de André Hack Bahi, o brasileiro de 43 anos que diz ter se aliado voluntariamente às tropas ucranianas para lutar contra a Rússia, disse na manhã desta quarta-feira ao Estadão desconhecer a informação que seu irmão esteja morto. Tatiane Hack Bahi, natural de Eldorado do Sul (RS) afirmou que a família está tentando contato com o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores) e com a Embaixada do Brasil em Kiev, mas ainda não receberam uma confirmação oficial.

"Essas notícias que estão veiculando na mídia de que ele está morto, e que confirmamos isso, não é verdade. Não temos nada de concreto. Eles viram uma homenagem que fiz ao meu irmão, e tomaram isso como confirmação, mas não foi o que eu falei. Talvez eu não deveria ter divulgado a postagem. Meus pais e nós (irmãs) ainda temos esperança de encontrar André vivo", disse esperançosa Tatiane.

André Hack Bahi desembarcou na Ucrânia em 28 de fevereiro, quatro dias depois do início da invasão russa. A última informação que Tatiane e sua família obtiveram era de que André estava numa missão em Severodonetsk, no leste da Ucrânia, uma região dominada pelos russos.

Amigos e combatentes que atuaram no front da guerra junto com André têm publicado a notícia de sua morte nas redes sociais. Nesta quarta-feira, o soldado brasileiro André Kirvaitis fez uma homenagem ao seu colega brasileiro, onde publicou um vídeo no Instagram. "Mais um soldado ânimo, que como outros deu a vida em combate pela liberdade e pela paz, eu não vou deixar seu nome ser esquecido, obrigado por tudo irmão, você está na verdadeira vida agora, a terra eh uma breve passagem perto da eternidade, você cumpriu sua missão com honra", diz o texto.

O Ministério das Relações Exteriores informou na última terça, 7 que não poderia confirmar a morte, mas a Embaixada do Brasil em Kiev estava apurando os relatos de que um brasileiro teria morrido em conflito em território ucraniano.

Em nota enviada à reportagem, o Itamaraty confirmou que busca as informações sobre o que houve com Bahi e explica que está à disposição para prestar a assistência cabível. "Assim como tem feito desde o começo do conflito, o Itamaraty continua a desaconselhar enfaticamente deslocamentos de brasileiros à Ucrânia, enquanto não houver condições de segurança suficientes no país", reforça a nota.

Se confirmada oficialmente, essa seria a primeira morte que se tem notícia de um brasileiro no conflito iniciado com a invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de fevereiro.

Tanto o perfil de Kirvaitis como o de Bahi no Instagram divulgam um link da Legião Internacional de Defesa Territorial da Ucrânia para a qual os brasileiros dizem ter se voluntariado.

O site, lançado pelo governo ucraniano em março, dá instruções a estrangeiros de pelo menos 60 países de como se voluntariar. Na aba dedicada ao Brasil, as instruções levam ao site e às informações de contato da Embaixada da Ucrânia.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido