Ouça a rádio

Compartilhe

Peritos apontam falhas em carro alegórico que matou menina em desfile de escola de samba no Rio

Raquel Antunes da Silva, de 11 anos, foi imprensada pelo carro alegórico em um poste e morreu no hospital

Carro alegórico imprensou menina de 11 anos contra poste na saída do Sambódromo

Laudo da Polícia Civil do Rio de Janeiro, divulgado nesta sexta-feira (3), apontou uma série de falhas no carro alegórico que imprensou contra um poste a menina Raquel Antunes da Silva, de 11 anos na saída de um desfile de samba da escola Em Cima da Hora, no Carnaval do Rio, em 22 de abril deste ano.

O documento, baseado na perícia realizada no local do acidente, mostra que não havia uma pessoa para auxiliar o motorista do carro alegórico na hora da dispersão. Raquel estava do lado direito do carro quando foi atingida, mas não havia ninguém naquele local para alertar o motorista.

“A ausência de auxiliar no setor lateral direito do conjunto para orientar o condutor do caminhão, uma vez que as condições de luminosidade do local não permitiam a visualização através do retrovisor do veículo”, diz trecho do documento.

Os peritos também apontaram, além da ausência de um auxiliar do motorista e a baixa luminosidade do local, um problema na ligação entre o carro alegórico e o reboque. Segundo os policiais civis, o acoplamento foi feito por meio de correntes e parafusos, contrariando o Código de Trânsito Brasileiro.

Raquel morreu após ter sido imprensada por carro alegórico contra poste

Outra falha apontada no documento é que não havia isolamento do local, o que contribuiu para a circulação indevida de pessoas na rua por onde passava o carro alegórico.

O posto onde a menina Raquel foi imprensada pelo veículo também estava instalado em local errado, em desconformidade com regras da ABNT.

“As dimensões do trecho curvilíneo da pista e do carro alegórico estavam muito próximas, somadas ao não isolamento da via, permitindo a circulação desordenada de transeuntes durante o deslocamento do conjunto, bem como ao posicionamento irregular do poste colidido sobre a guia da calçada [em desacordo com a ABNT NBR 15688:2012]”, mostra o laudo.

Relembre o caso

Raquel Antunes da Silva, de 11 anos, foi imprensada entre um carro alegórico da escola de samba "Em Cima da Hora" e um poste, nas proximidades do Sambódromo do Rio no dia 20 de abril, quando a escola desfilava na série Ouro do Carnaval do Rio.

Ela foi internada em um hospital com ferimentos graves na perna e passou por uma cirurgia onde teve a perna amputada, mas acabou morrendo no Hospital Municipal Souza Aguiar.

Após o acidente, a Justiça do Rio determinou que todas as escolas de samba escoltem seus carros alegóricos do Sambódromo até os barracões para evitar o acesso de crianças e adolescentes aos veículos.  

*Com informações da Agência Brasil

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido