Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Cada vez mais global, NBA terá recorde de jogadores estrangeiros em 2023/24

NBA conta com 125 atletas nascidos fora dos Estados Unidos para atual temporada

Victor Wembanyama, da França, foi a primeira escolha do draft em 2023

Victor Wembanyama, da França, foi a primeira escolha do draft em 2023

Instagram/Reprodução

A NBA busca, cada vez mais, espaço fora dos Estados Unidos. A internacionalização da marca conta com amistosos e jogos da temporada regular fora do país de origem e já é possível ver um reflexo das ações. A temporada 2023/24 contará com 125 atletas estrangeiros, maior marca da história da NBA.

O Canadá é o país com maior número de estrangeiros inscritos. Segundo a própria NBA, serão 26 canadenses distribuídos entre os times da liga. A França, país da sensação Victor Wembanyama, tem 14 atletas e é o segundo com mais representantes.

O Brasil está fora da lista de atletas internacionais na NBA pela primeira vez em 21 anos. A sequência, iniciada foi Nenê em 2002 foi encerrada com Raulzinho, em 2023. Jogadores podem ser contratados ao longo da atual temporada.

A representação brasileira fica fora das quadras. Leandrinho Barbosa (ex-jogador) é assistente técnico do Sacramento Kings. Tiago Splitter (ex-jogador) compõe a comissão técnica do Houston Rockets. Felipe Eichenberger é preparador físico do Denver Nuggets, atual campeão.

Atuais estrelas gringas

Nikola Jokic (Sérvia), Luka Doncic (Eslovênia) e Giannis Antetokounmpo (Grécia) são três dos principais atletas da atualidade. Joel Embiid, pivô camaronês com ascendência francesa, foi eleito o melhor jogador da última temporada.

A Alemanha, atual campeã da Copa do Mundo, contou com quatro atletas no time para conquistar o título. Dennis Schröder (Raptors), Daniel Theis (Pacers) e os irmãos Franz e Moritz Wagner (Orlando Magic) foram campeões e estarão na atual temporada NBA. No total, foram 55 atletas da NBA participaram do Mundial.

Esforço antigo

O esforço de internacionalização da NBA começou em 1992 com a permissão de jogadores da liga para participar dos Jogos Olímpicos. Em Barcelona, o time comandado por Michael Jordan, Larry Bird e Magic Johnson atropelou os adversários, conquistou o ouro e ficou conhecido como ‘Dream Team’ (time dos sonhos, em tradução literal).

Em 2001, a NBA lançou, junto com a Federação Internacional de Basquete (FIBA) o programa “Basketball Without Borders” (Basquete Sem Fronteiras). A iniciativa organiza treinamentos e jogos ao redor do mundo.

Desde o ano de origem, 23 cidades em 20 países diferentes receberam alguma atividade. A NBA estima 2.300 participantes de 120 países diferentes.

Desde então, há presença constante de estrangeiros na liga. Dirk Nowitzki, defendeu o Dallas Mavericks de 1998 a 2019 e é um dos jogadores mais importantes da história da liga e da franquia. Nos anos 2000, a presença de estrangeiros foi cada vez mais constante em equipes campeãs.

O San Antonio Spurs contou, por muito tempo, com um trio ‘estrangeiro’. Tim Duncan (Ilhas Virgens, território dos EUA no Caribe), Manu Ginóbili (Argentina) e Tony Parker (França) lideraram uma equipe campeã cinco vezes (2003, 2005, 2007 e 2014).

Leonardo Parrela é repórter multimídia na área de esportes na Itatiaia. É formado em Jornalismo pela PUC Minas. Antes da Itatiaia, colaborou com Globo Esporte, UOL Esporte e Hoje Em Dia, onde cobriu Copa do Mundo, Olimpíada e grandes eventos.
Leia mais