Ouça a rádio

Compartilhe

Sérgio Coelho reclama de silêncio da CBF e Daronco após polêmicas envolvendo o Atlético

Presidente do Galo quer a liberação do áudio das conversas do árbitro com Hulk

Sérgio Coelho esteve na CBF na última semana

O Atlético não está satisfeito com a liberação dos áudios apenas dos lances polêmicos na partida contra o São Paulo, quando o clube pediu a marcação de três supostos pênaltis, não marcados por Anderson Daronco. Nesta quarta-feira (20), o presidente Sérgio Coelho reclamou da não publicação da conversa entre o árbitro e Hulk, que teria sofrido intimidação.

Durante entrevista coletiva concedida, o mandatário alvinegro foi perguntado se houve posicionamento da Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre a dúvida em torno da marcação do segundo gol de Arrascaeta sobre o Galo na Copa do Brasil. De acordo com ele, a entidade está em silêncio, apesar da liberação do diálogo do VAR.

"Não falam nada. Absolutamente nada. Zero comentário. Absolutamente nada. Pior que esse lance, foi a denúncia do Hulk em relação à ameaça do Daronco. Ele não disse nada, diz se ameaçou, se não ameaçou, qual foi o tom da conversa. Ninguém da comissão de arbitragem também fala nada, é como se nada tivesse acontecido. Será que isso é razoável? Aceitável?", indagou.

O principal alvo das reclamações do Atlético é Wilson Luiz Seneme, chefe da Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

É lamentável a forma como o presidente da comissão de arbitragem da CBF tem conduzido sua atuação no órgão. É incompreensível a falta de diálogo com boa parte dos Clubes e Federações, inclusive com o Galo. No nosso entendimento o Sr Wilson Seneme está no lugar errado. O cargo não condiz com sua postura, disse.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store