Ouça a rádio

Compartilhe

Atlético x São Paulo: CBF divulga áudios de Daronco com o VAR; veja conversas

Conversa de Hulk com o árbitro Fifa não foi publicado pela entidade

Daronco foi alvo de críticas do Atlético pela atuação na partida com o São Paulo

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou, na tarde desta segunda-feira (18), o áudio com as conversas entre o árbitro Anderson Daronco e Adriano Milczvski, responsável pelo VAR no empate em 0 a 0 entre Atlético e São Paulo, no dia 10 de julho, no Mineirão, pela 16ªrodada do Campeonato Brasileiro, quando o clube mineiro reclamou de três possíveis penalidades não assinaladas em campo e nem revisadas pelo juiz principal no monitor.

Nos três lances polêmicos, houve consenso entre os responsáveis pelo apito em mandar o jogo seguir. A maior dúvida aconteceu no choque entre Hulk e Miranda.

Na checagem feita pelo VAR, Adriano Milczvski concorda que Miranda toca na bola após Hulk e diz que o atacante atleticano forçou após choque normal de jogo. Veja a conversa abaixo:

Daronco: Para mim, tira a bola

VAR: Checando, Daronco. Aguarde um segundo

VAR: Deixa eu ver se ele toca a bola antes.

Daronco: E aí, Adriano, posso jogar?

VAR: Ainda não

Assistente VAR (Luciano Roggenbaoum) : O atacante toca antes na bola

VAR: É lance fino. Calma, por favor

Daronco: Para mim, o Daronco chuta a bola

VAR: Ele (Hulk) força em cima do Miranda

VAR: Para mim, é um choque de jogo

VAR: Adriano falando, Daronco. Quem toca primeiro na bola é o atacante, mas ele força em cima do defensor. Choque de jogo. Choque é inevitável. Disputa por espaço.

No lance envolvendo novamente Miranda, desta vez com Igor Rabello, os responsáveis pelo VAR concordam com Anderson Daronco e concordam que o toque não gerou impacto na tentativa do General ajeitar a bola com peito. Veja conversa abaixo:

Daronco: Ele passa de peito a bola tranquilamente

VAR: Ele não tem impacto. Concorda?

Daronco: Para mim é normal

VAR: Tem a disputa, mas ele não tem impacto nenhum os braços do defensor no atacante

O outro pedido de pênalti por parte do Galo aconteceu após a bola bater na mão no jovem zagueiro Luizão dentro da área. Para todos os envolvidos, não houve "intenção de bloqueio", sendo o toque natural.

A liberação dos áudios da partida era uma das principais queixas do Atlético com a CBF. O clube entende que não está sendo tratado de maneira igual em relação aos outros clubes do futebol nacional.

Apesar de divulgar as conversas nos lances polêmicos, a entidade máxima não publicou o momento da discussão entre Hulk e Daronco nos momentos finais do jogo. O atacante alega que o árbitro teria pedido para ele tomar cuidado com o que falaria para a imprensa, lembrando que apitaria outras partidas do jogador.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store