Ouça a rádio

Compartilhe

Rússia x Ucrânia: nova regra da Fifa não contempla zagueiro Junior Alonso, do Atlético

Paraguaio foi vendido ao Krasnodar no início de 2022, mas voltou ao Galo por conta do conflito no Leste Europeu

Junior Alonso é titular absoluto do Galo em 2022

Entidade máxima do futebol, a FIFA tomou decisão importante nesta terça-feira (21). Devido à guerra entre Rússia e Ucrânia, jogadores e treinadores estrangeiros poderão suspender os respectivos contratos com clubes dos dois países envolvidos até junho de 2023.

Vendido pelo clube alvinegro ao Krasnodar, da Rússia, por cerca de R$ 50 milhões, e emprestado até o fim desta temporada graças ao conflito, o zagueiro paraguaio Júnior Alonso não se encaixa nesta decisão da entidade.

Conforme apurou a Itatiaia, o “xerife” da zaga só retornou ao Galo por um acordo feito entre os clubes. Como não teve o contrato suspenso, ele dificilmente seguirá em Minas no próximo ano.

Ainda de acordo com informação recebida, a possibilidade de jogador e agente buscarem a suspensão do contrato com os russos é remota, pois o vínculo foi assinado há muito pouco tempo e o investimento do Krasnodar foi altíssimo.

Por outro lado, brasileiros como Pedrinho, Dodô, Ismaily e Marlon Santos, do Shakhtar Donetsk, e Douglas Santos, Wendel, Claudinho, Yuri Alberto e Malcolm, do Zenit, ganham um ano a mais para buscarem novos clubes, se assim desejarem.

Inicialmente, a regra especial, tinha validade até o dia 30 deste mês.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido