Ouça a rádio

Compartilhe

MP faz acordo com filho de ex-prefeito que foi funcionário fantasma por 1 mês em gabinete de deputado

Denúncia do MP foi enviada para a Justiça em 2016

Justiça Estadual homologou acordo

A Justiça Estadual homologou um acordo de não persecução civil do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) com o filho do ex-prefeito de Juiz de Fora, Carlos Alberto Bejani, para a devolução de pouco mais de R$ 2 mil. A investigação do MP, iniciada em 2015, constatou que Bejani Jr., na época com 18 anos, foi funcionário fantasma de um gabinete de deputado estadual durante um mês - entre dezembro de 2014 e janeiro de 2015.

Com salário, na época, de R$ 1,5 mil, Bejani Jr., segundo o MP, não teria trabalhado nenhum dia. Ele foi lotado no gabinete do então deputado Leonardo Moreira, falecido em 2019.

A denúncia do MP foi enviada para a Justiça em 2016 e, além da devolução dos valores, pedia também a inexigibilidade do filho do ex-prefeito - que, ao que consta, nunca teve planos políticos. Na semana passada, o acordo foi homologado na Justiça.

Leia Mais

Zema

Depois de sinalização de nome de Simões para vice de Zema, parlamentares do PP se reúnem em Brasília

Eleições 2022

Ex-presidente Lula voltará ao Estado de Minas para oficializar a aliança com Alexandre Kalil

Serra do Curral

Tamisa, empresa autorizada a minerar na Serra do Curral, não tem registro no CREA

Bolsonaro

“Ambiente muito favorável para Bolsonaro”, afirma industrial mineiro

Eleições 2022

Pré-candidato ao Senado, Cleitinho teve encontro com Bolsonaro em Brasília

Acesso rápido