Ouça a rádio

Compartilhe

Tamisa e Copasa vão se reunir para debater termo sobre Serra do Curral

Estudo utilizado pela Tamisa durante o processo de licenciamento para mineração na área foi feito em 2018

A mineradora Tamisa solicitou à Copasa, em ofício enviado no início dessa semana, uma reunião para dar continuidade as questões referentes ao termo de acordo assinado em 2018. A coluna apurou que deve ser solicitado um novo estudo hídrico para observar possíveis riscos ao abastecimento de água da região metropolitana de Belo Horizonte por conta do empreendimento minerário que a empresa pretende instalar na região da Serra do Curral. O estudo utilizado pela Tamisa durante o processo de licenciamento para mineração na área foi feito em 2018, a partir de um projeto diferente do que foi aprovado pelo Copam no final de abril. O estudo integrava um Termo de Compromisso firmado entre a mineradora e a Copasa, mas que foi arquivado em 2020 a pedido da própria empresa.

Agora, com uma intensa disputa judicial em que parlamentares, o MP mineiro e a Procuradoria-Geral de Belo Horizonte tentam suspender o licenciamento de mineração da Tamisa para a Serra do Curral, a empresa busca nova documentação para não ser questionada no futuro. 

O estudo hídrico não é legalmente necessário para a autorização de licenciamentos no Copam. Na época da autorização do conselho, o governo de Minas e a Copasa afirmaram que o estudo indicava condições para a instalação da operação da mineradora.

Leia Mais

TRIÂNGULO MINEIRO

Homem esfaqueia a mulher após negativa de sexo e agride enteada em Uberaba 

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Bolsonaro critica paridade de preços internacionais na Petrobras

MOBILIZAÇÃO

'Ninguém queria descer', explica enfermeiro sobre mobilização de médicos para evacuar pacientes da Santa Casa de BH

INVESTIGAÇÃO

Contador ligado a Lula é suspeito de lavar R$ 16 milhões em loteria com PCC

Frio e geada

Maria da Fé registra -1,3°C, menor temperatura do ano em Minas Gerais

Acesso rápido